A graça salvadora (Tt 2:11)

Eilat – Israel

Na minha viagem ao Oriente Médio em outubro de 2010, logo que atravessei a fronteira Egito-Israel, conheci um solitário mochileiro japonês com quem dividi as despesas de táxi até Eilat, cidade ao extremo sul de Israel, banhada pelo Mar Vermelho. De lá, naquele mesmo dia, prosseguimos de ônibus para Tel-Aviv, e em seguida, Jerusalém. Esse jovem era um médico recém formado, e segundo ele, estava realizando o seu sonho de conhecer o mundo inteiro antes de começar a sua carreira. Perguntei qual o país visitado até então que mais tinha gostado. A resposta foi categórica: Síria!

 

Síria

Síria, em outubro de 2010, ainda era um país interessante para se visitar, com muita história e arqueologia bíblica; e ainda, segundo o mochileiro, o povo sírio era bastante gentil e hospitaleiro. Apenas três meses depois, em janeiro de 2011 começaram violentas manifestações contra o governo sírio que resultou em grande destruição, crise de refugiados, crianças traumatizadas etc. que perdura até o momento.

 

Crianças sírias – Guerra civil na Síria 2017

No começo deste ano, muitos jornais publicaram matérias a respeito de crianças sírias traumatizadas com a guerra civil. Algumas cidades como Aleppo e Homs estão 100% destruídas. Segundo pesquisas encomendadas por uma ONG sediada em Londres, a próxima geração síria será de seres humanos traumatizados e incapazes de resolver questões básicas para a sua própria existência. A saúde mental dos futuros reconstrutores daquele país está gravemente comprometida e, consequentemente, o futuro do país está condenado.

 

Leia: https://oglobo.globo.com/mundo/na-siria-80-das-criancas-sofrem-de-estresse-pos-traumatico-21020906

Que as crianças sírias possam superar todas as dificuldades físicas e psicológicas e reconstruir as suas vidas e o seu país.

 

 

Holocausto

Crianças judias – Segunda Guerra Mundial

Os judeus passaram por vários momentos trágicos em toda a sua existência. Começando pelas Escrituras Sagradas até os tempos atuais, lemos muitos relatos, filmes e documentários a respeito dos sofrimentos deste admirável povo. O holocausto ocorrido na Segunda Guerra Mundial, embora mais citado, não foi o único desastre judaico, mas tomando-o como exemplo, muitas famílias foram separadas e vidas ceifadas. Porém a nova geração de judeus não perderam tempo com traumas, confusões mentais e depressões. Os judeus se reestruturaram baseando-se sobre a poderosa fé e na promessa divina, fundaram o Estado de Israel realizando o sonho dos seus antepassados. Que grande nação é esta!

 

 

Genocídio armênio

Crianças armênias durante a invasão turca

Poucos sabem, mas no início do século passado, a política imperialista turco-otomana avançou contra os seus vizinhos do leste e assassinou cerca de 1,5 milhão de armênios. Isso ficou conhecido como genocídio armênio, ou primeiro genocídio moderno. Todo genocídio é movido por ódio e desumanização da vítima. Propagandas que incitam violências passam a veicular livremente o ódio nos meios de comunicação, até que a ideia de que “as vítimas não são humanas, por isso não há necessidade de serem tratados como tais” fixam na mente dos agressores. Daí em diante, o agressor passa a ser como uma locomotiva descontrolada, sem remorso, capaz de destruir uma nação toda.

 

Parte do já pequeno território armênio foi tomado pela Turquia, inclusive o Monte Ararate, onde segundo as Escrituras pousou a arca de Noé após o dilúvio. Muitas famílias armênias foram destruídas, suas vidas foram interrompidas, e sonhos tornaram-se em pesadelos. Os sobreviventes se espalharam pelo mundo fundando colônias nas mais variadas regiões do mundo.

 

Camboja, Ruanda, Bósnia…

Cambodja

O mundo não pode esquecer das atrocidades praticadas pelo Khmer Vermelho (Cambodja – década de 1970), o genocídio de Ruanda (1994), da Bósnia (1995),  e muitos e muitos desastres, infindáveis tristezas e horrores que deixaram grandes cicatrizes nas gerações vindouras.

 

Nesse ponto, talvez, muitas pessoas blasfemam dizendo loucuras contra o infinito amor e misericórdia do SENHOR. Devemos lembrar que o SENHOR nada tem com esses horríveis espetáculos do pecado:

“De onde procedem guerras e contendas que há entre vós? […] Resisti ao Diabo, e ele fugirá de vós. Chegai-vos a Deus, e ele se chegará a vós outros […] Humilhai-vos na presença do Senhor, e ele vos exaltará.” (Tg 4:1-10)

 

Que o Senhor tenha misericórdia!

 

 

A foto da capa

Esta é uma foto tirada pelos soldados norte americanos durante a revista na aldeia de Yomitan, em Okinawa, em plena Guerra do Pacífico (1945). Todos estes civis foram postos na rua para terem as suas casas vasculhadas. Repare os idosos, mulheres e crianças assustadas e apreensivas. O garoto que marquei com elipse vermelho, é o meu pai, pastor Shinjo – na época com sete anos de idade. O homem que está agachado em primeiro plano, com a cabeça coberta é o meu avô (é a única foto que temos dele – de costas). Pouco tempo depois da foto, morreu o pai do meu pai; depois, a mãe; depois os seus cinco irmãos – todos vítimas da guerra.

 

O que se pode esperar de um sobrevivente órfão de menos de 10 anos de idade? Trauma, rebeldia, loucura, depressão, drogas…?

Não, não foi isso que aconteceu! O meu pai sobreviveu a guerra e na sua adolescência recebeu o chamado de JESUS. Ainda jovem foi enviado como missionário para o Brasil. No mês passado completou 80 anos de idade, sem traumas ou rancores, mas com a bênção e a graça do Senhor. Aleluia!

 

Batalha de Okinawa 1945

 

Certamente Okinawa é a província japonesa mais evangelizada

Logo após o término da Guerra do Pacífico, o evangelho do nosso Senhor JESUS Cristo passou a ser anunciado na província japonesa de Okinawa que passou para o controle norte-americano com a promessa de que seria devolvida ao governo japonês após 100 anos de ocupação. Mas em 1972 Okinawa foi devolvida para o Japão. Felizmente muitas famílias abraçaram o evangelho e puderam seguir adiante sem trauma nem ódio, mas com amor e esperança.

“[…] Eu e a minha casa serviremos ao SENHOR” (Js 24:15)

 

Graça salvadora

Quando nascemos de nossos progenitores, nada mais somos do que homens naturais. Entretanto, ao nascermos de novo da água e do Espírito, conforme a palavra do Senhor a Nicodemos, registrada em João 3:1-15, somos feitos filhos de Deus e herdeiros do Seu Reino. Esta nova vida não é uma vida natural, e sim uma vida espiritual vinda de Deus que nos vivifica, na qual podemos afirmar: “as coisas antigas já passaram; eis que se fizeram novas” (2 Co 5:17).

 

Assim, todo o nosso pecado é perdoado e nós somos justificados diante de Deus. Mesmo que nós não mereçamos, somos feitos justiça de Deus (2Co5:21). A justiça de Deus não é a nossa justiça, portanto não se baseia em justiça humana. Compreender essa realidade é um grande passo na vida cristã.

“Porquanto a graça de Deus se manifestou salvadora a todos os homens, educando-nos para que, renegadas a impiedade e as paixões mundanas, vivamos, no presente século, sensata, justa e piedosamente, aguardando a bendita esperança e a manifestação da glória do nosso grande Deus e Salvador Cristo Jesus, o qual a si mesmo se deu por nós, a fim de remir-nos de toda iniquidade e purificar, para si mesmo, um povo exclusivamente seu, zeloso de boas obras.” (Tt 2:11-14)