Tratado de Kadesh

tratado-de-kadesh

Tratado de Kadesh – versão heteu

O tratado de Kadesh é o acordo diplomático e tratado de paz mais antigo do mundo de que se tem notícia por escrito. Foi um tratado feito entre o rei heteu Muwatalli II e Ramsés II, um dos mais notáveis faraós, e marcou o fim de quase dois séculos de conflitos entre estas duas grandes potências militares da época. O tratado recebeu o nome do último e maior combate travado no Século XIII a.C. entre estes dois grandes impérios em Kadesh, terra de Canaã, onde foram contabilizadas inúmeras baixas de ambos os lados.

 

Kadesh, Qadesh ou Cades significa Terra Sagrada. Havia muitas cidades ou localidades chamada Cades; por exemplo, Cades-Barneia, na Península do Sinai, por onde passaram Moisés e os israelitas. Kadesh de que estamos tratando agora ficava na Síria, perto de Aleppo, que também fora habitada pelos heteus.

Veja: O povo heteu na Bíblia

hititas-e-egipcios

Clique para ampliar

Naquela época, o domínio heteu se expandia para as terras cananeias, onde o Egito também tinha interesse. Ramsés II respondeu agressivamente à ação militar resultando nesta grande batalha, porém ambos exércitos retiraram-se em condição de empate. Durante muitos anos após este confronto, heteus e egípcios continuaram a ser inimigos, até que foi assinado o tratado de Kadesh.

 

Eles assinaram o tratado de paz e trocaram presentes. Uma pedra verde peculiar é tida como um presente de faraó Ramsés II ao rei heteu Muwatalli II.

 

 

dscn3625

Pedra verde em Hattusha

O tratado proclama a paz perpétua, a não agressão mútua, cooperação bilateral e ajuda militar em caso de agressões por outros países. Ambos os lados tinham interesses em assinar o acordo de paz: o Egito mediante a ameaça crescente dos filisteus; e os heteus preocupados com o aumento do poder da Assíria, a leste.

 

 

Nem filiteus, nem assírios

Alguns estados heteus mais novos denominados neo-hititas foram contemporâneos da migração dos israelitas para Canaã. Na época em que heteus e egípcios estavam preocupados em unir as suas forças para enfrentarem possível agressão de filisteus e assírios, uma pequena nação começou a se destacar no cenário: Israel, cujo comando militar e intelectual vinha do SENHOR e assim, primeiro os heteus e depois, os filisteus, egípcios, assírios e muitos outros foram derrotados pelo SENHOR dos Exércitos de Israel. Cronologicamente, podemos afirmar que na época em que o Tratado de Kadesh estava sendo firmado (Séc. XIII a.C), Josué estava começando a conquistar as terras de Canaã.

“O povo, porém, que habita nessa terra é poderoso, e as cidades, mui grandes e fortificadas; também vimos ali os filhos de Anaque. Os amalequitas habitam na terra do Neguebe; os heteus, os jebuseus e os amorreus habitam na montanha; os cananeus habitam ao pé do mar e pela ribeira do Jordão.” (O relatório dos espias Nm 13:28-29)

 

kadesh

Batalha de Kadesh: quais eram as chances de Israel vencer os grandes?

Não devemos ter a Bíblia Sagrada apenas como referência histórica ou arqueológica, tampouco, os ensinamentos do Senhor como sendo apenas uma palestra ou aula. As palavras de JESUS, o nosso Senhor, são espírito e são vida (cf. Jo 6:63). Bem-aventurado aquele que crê nas Palavras do Senhor.

 

Mesmo séculos mais tarde, o profeta Isaías continuou advertindo os israelitas para não manter qualquer aliança com o Egito, que na linguagem bíblica, corresponde ao mundanismo frequente em todos os tempos:

greece-egypt-2010-841

Luxor, Egito

“Ai dos filhos rebeldes, diz o SENHOR, que executam planos que não procedem de mim e fazem aliança sem a minha aprovação, para acrescentarem pecado sobre pecado! Que descem ao Egito sem me consultar, buscando refúgio em Faraó e abrigo, à sombra do Egito! Mas o refúgio de Faraó se vos tornará em vergonha, e o abrigo na sombra do Egito, em confusão.” (Is 30:1-3);

 

“Pois, quanto ao Egito, vão e inútil é o seu auxílio […]” (Is 30:7);

 

“Ai dos que descem ao Egito em busca de socorro e se estribam em cavalos; que confiam em carros, porque são muitos, e em cavaleiros, porque são mui forte, mas não atentam para o Santo de Israel, nem buscam ao SENHOR!” (Is 31:1)

 

O texto do Tratado de Kadesh na versão egípcia, escrita em hieroglífica está nas paredes das dependências de Luxor, no Egito; e a versão heteia escrita em cuneiformes que foi descoberta em Hattusha está atualmente exposta no Museu Arqueológico de Istambul, na Turquia.

 

“Ninguém te poderá resistir todos os dias da tua vida […] Sê forte e corajoso, porque tu farás este povo herdar a terra que sob juramento, prometi dar a seus pais.” (Js 1:5-6)

 

Uma grande lição para a igreja

dscn3769a

“Não te espantes diante deles”

O SENHOR falava a respeito da conquista da terra de Canaã, na qual havia sete nações mais numerosas e mais poderosas que a nação israelita, entre elas os heteus (cf Dt 7:1); porém o SENHOR confortava a Israel dizendo:

“Não te espantes diante deles, porque o SENHOR, teu Deus, está no meio de ti, Deus grande e temível. O SENHOR, teu Deus, lançará fora estas nações […]” (Dt 7:21-22)

 

Aparentemente, o povo de Deus não tinha nenhuma chance de vencer as superpotências como o Egito e Hatti. Força e coragem (Js 1:7) foram necessárias para enfrentar os terríveis exércitos inimigos armados até os dentes. Israel era um povo que viveu como escravo por quatro gerações no Egito e pouco sabia fazer, senão tijolos de barro. Aparentemente, não tinha nenhuma chance contra esses tão experientes homens de guerra. Lembre-se da fortaleza de Jericó e da cavalaria de Faraó, que mesmo com os melhores homens, estratégias e artefatos de guerra, não puderam resistir a um povo simples, porém de muita fé. Nenhum tratado, acordo ou seguro que as pessoas fazem poderão salvá-las no Último Dia, senão a fé no verdadeiro Senhor, o Rei dos reis, JESUS Cristo.

“Se o SENHOR não edificar a casa, em vão trabalham os que a edificam; se o SENHOR não guardar a cidade, em vão vigia a sentinela. Inútil vos será levantar de madrugada, repousar tarde, comer o pão que penosamente granjeastes; aos seus amados ele o dá enquanto dormem.” (Sl 127:1-2)