Regras sociais

Regras sociais: A sua atitude determina a sua altitude

Vivemos numa época em que a maioria dos cidadãos gozam de liberdade, porém, infelizmente, muitos estão usando a liberdade para a destruição. As regras sociais são prescrições de comportamento e existem para disciplinar o convívio humano. O cristão deve ser exemplo para outros em todas as áreas da vida, inclusive no trato, isto é, na maneira educada e gentil com que se relaciona com as pessoas. É da vontade de Deus que seus filhos sejam completos, perfeitos em toda a sua maneira de viver. Paulo se esforçava para instruir seus discípulos com o fim de apresentá-los perfeitos a Deus:

“Ninguém despreze a tua mocidade; pelo contrário, torna-te padrão dos fiéis, na palavra, no procedimento, no amor, na fé, na pureza.” (1Tm 4:12)

 

Quem serve a Deus, serve ao seu próximo; e quem serve ao seu próximo serve a Deus. O Senhor nos ensinou:

“[…] Em verdade vos afirmo que, sempre que o fizestes a um destes meus pequeninos irmãos, a mim o fizestes.” (Mt 25:40)

 Já no Salmo 100:2 está escrito:

 “Servi ao Senhor com alegria […]”

 

Esse sentimento puro deve ser constante na vida cristã. O crente deve ter prazer no que faz servindo ao SENHOR. Paulo também aconselhou a igreja em Colossos:

“Portai-vos com sabedoria para com os que são de fora; aproveitai as oportunidades. A vossa palavra seja sempre agradável, temperada com sal, para saberdes como deveis responder a cada um.” (Cl 4.5-6)

 

Por outro lado, Jeremias adverte dizendo: “Maldito aquele que fizer a obra do SENHOR relaxadamente!” (Jr 48:10)

 

Convidei a psicóloga e irmã na fé Akemi Zaha nesta e nas próximas postagens para falar deste assunto tão importante. Respeitar regras de convivência não significa ser chique, pois existem pessoas chiques que não tem a mínima noção de bons modos.

 

 

Compromisso e disciplina cristã

Autora: Akemi Zaha

 

Geralmente, observamos que, para quem não é cristão, ser cristão é ser um exemplo de postura, educação e ética social.

Contudo, como cristãos, nós fazemos jus à essa imagem?

 

Primeiramente, ser cristão, ou seja, seguir a Cristo, não simplifica-se apenas ir à igreja. De fato, estamos conscientes da nossa postura cristã?

 

O nosso comportamento reflete a importância que damos à igreja de Deus. Por exemplo, quando temos um compromisso profissional, pensamos em cumprir o horário de chegada e de saída, e de antemão, nos antecipamos caso ocorra imprevistos. No entanto, temos esse mesmo compromisso de horário para assistirmos aos cultos?

 

Por que priorizamos um compromisso e não outro? Simplesmente, está ligado à importância que atribuímos a esses compromissos.

 

Não me refiro, nesse texto, em relação às pessoas que trabalham e não podem chegar no horário de início regular dos cultos. Ao contrário, me refiro às pessoas que têm possibilidades e disponibilidades de cumprirem horário, porém, não o fazem.

 

Essa seria uma postura cristã exemplar aos demais: a disciplina para com Deus. Por mais que, tal comportamento pareça ser mínimo e não causar danos, pode gerar impacto aos demais: alguns podem pensar que têm os mesmos direitos e se espelhar em maus comportamentos, tornando-se “de igual”.

 

Assim como, no ambiente profissional e educacional, somos vistos e, muitas vezes, copiados pelos demais, assim também é no ambiente cristão.

 

Se nós mesmos observamos os demais irmãos dentro da igreja, nós também somos observados pela nossa postura e atitude.

Por isso, cabe a nós, zelar pelas nossas atitudes, assim, tornando-nos uma referência boa aos mais novos na fé ou aqueles que ainda estão despertando na fé.

 

Segundo o estudo do Behaviorismo, uma abordagem da Psicologia, nós, seres humanos, somos influenciados e influenciamos o tempo todo. Pois todos nós fazemos parte dos mesmos ambientes, por isso, sem ao menos perceber, nosso comportamento afeta os demais outros comportamentos.