A religião e a ciência

As primeiras universidades foram criadas pelas igrejas para confirmar a veracidade bíblica através da ciência, no entanto, lamentavelmente, muitas pessoas estão procurando usar as ferramentas científicas para atacar a imutável Verdade. A Bíblia não é contra a ciência, pelo contrário, a incentiva.

 

Toda Ciência e toda arte se originaram da Religião:

  • a primeira arquitetura foi religiosa: o templo;
  • a primeira poesia foi religiosa: o hino;
  • o primeiro teatro foi religioso: o ritual;
  • a primeira ciência foi religiosa: o milagre.

 

Todos os governos foram originalmente religiosos:

  • toda lei era religiosa;
  • todo costume social era religioso;
  • a religião envolvia a vida humana.

 

No entanto, a religião acabou cedendo ao secularismo: a arte e a ciência não mais podiam se desenvolver dentro dos padrões religiosos. Por que? Porque os homens cederam-se ao pecado e assim nasceram outros tipos de ciência e arte:

  • a idolatria é uma arte;
  • o paganismo é uma ciência;
  • o nazismo era arte e ciência.

“[…] A tua sabedoria e a tua ciência, isso te fez desviar, e disseste contigo mesma: Eu só, e além de mim não há outra.” (Is 47:10 a queda da Babilônia)

 

Não há conflito entre a verdadeira religião e a verdadeira ciência. O conflito está entre a superstição disfarçada de religião e o materialismo disfarçado de ciência.

“A religião pura e sem mácula, para com o nosso Deus e Pai, é esta: visitar os órfãos e as viúvas nas suas tribulações e a si mesmo guardar-se incontaminado do mundo.” (Tg 1:27)

 

A falsa religião e a ciência, ou a falsa ciência e a verdadeira religião não podem compartilhar a verdade. Posso até entender a posição de alguns cientistas ateus, porque talvez, eles só conheceram falsas religiões. A religião está para a ciência, assim como Deus está para os homens. A religião e a ciência são dois pólos necessários à vida humana, e não são obrigatoriamente opostos:

  • Hirão era cheio de sabedoria, de entendimento, e de ciência (cf. 1Rs 7:14);
  • Daniel e seus amigos eram jovens estudados, peritos e doutos em ciência (cf. Dn 1:4);
  • Moisés foi poderoso em palavras e obras, educado em toda a ciência dos egípcios (cf. At 7:22);
  • Lucas era médico (cf. Cl 4:14);
  • Muitos dos grandes cientistas são judeus.

 

Como se vê nos exemplos acima, muitos homens de fé também eram grandes doutores.

O que acontece é que os métodos e os objetivos da religião e da ciência são diferentes:

  • A religião contempla; a ciência observa;
  • A religião interpreta; a ciência investiga;
  • A religião procura fins; a ciência procura causas;
  • A religião pensa em termos fé; a ciência pensa em termos de história;
  • A religião é perspectiva; a ciência é pesquisa;
  • A religião quer saber por que, os propósitos, os derradeiros e os objetivos da realidade; a ciência quer saber como e o quê das coisas ou fatos;
  • A religião é a resposta à necessidade humana de esperança e direção; a ciência é reposta à necessidade humana de conhecimento e poder;
  • A verdade científica é a verdade humana, e o que o olho do homem vê. Já a realidade absoluta está além do poder humano.

 

Veja: Jó 39:13-17 – Deus negou a sabedoria ao avestruz

O SENHOR não abençoa a ignorância, nem mesmo àqueles que recusam olhar para a evidência; pelo contrário, Paulo diz que o SENHOR condena aqueles que rejeitam a clara evidência que Ele revelou:

“A ira de Deus se revela do céu contra toda impiedade e perversão dos homens que detêm a verdade pela injustiça; porquanto o que de Deus se pode conhecer é manifesto entre eles,
porque Deus lhes manifestou. Porque os atributos invisíveis de Deus, assim o seu eterno poder, como também a sua própria divindade, claramente se reconhecem, desde o princípio do mundo, sendo percebidos por meio das coisas que foram criadas. Tais homens são, por isso, indesculpáveis; porquanto, tendo conhecimento de Deus, não o glorificaram como Deus, nem lhe deram graças; antes, se tornaram nulos em seus próprios raciocínios, obscurecendo-se-lhes o coração insensato. Inculcando-se por sábios, tornaram-se loucos” (Rm 1:18-22)

 

Quem não se lembra da famosa repreensão do SENHOR no Livro de Jó? Vemos claramente que é necessário conhecimento; e o SENHOR abomina a ignorância:

“Quem é este que escurece os meus desígnios com palavras sem conhecimento?” (Jó 38:2)

 

Sem religião a ciência é uma máquina de destruição; por outro lado, a religião sem ciência é sujeita a todos os perigos de fanatismo, superstição e degeneração. As religiões seculares não passam de frutos de uma fé cega e manipulação emotiva e mística. Por isso, Salomão, o homem mais sábio de todos os tempos nos ensina:

“O temor do SENHOR é o princípio do saber, mas os loucos desprezam a sabedoria e o ensino.” (Pv 1:7)

 

Conselho aos irmãos:

“A glória de Deus é encobrir as coisas, mas a glória dos reis é esquadrinhá-las.” (Pv 25:2)

 

Estudem com humildade diante do SENHOR, pois Dele vem a verdadeira ciência. Estudem também, a própria ciência da sabedoria: temos no meio da Bíblia, os chamados Livros Sapienciais que correspondem aos livros de Jó, Salmos, Provérbios, Eclesiastes e Cântico dos Cânticos que são, digamos, grandes livros de ciências do saber.

Se há alguma coisa que a ciência ainda não pode explicar, ela deve dizer humildemente: “até onde se sabe”, e nunca negar o poder de Deus. A ciência deve admitir a superioridade infinita de Deus e a fragilidade humana – porque nem tudo podemos explicar, e nem por isso podemos dizer que não é real.

“Porque a loucura de Deus é mais sábia do que os homens; e a fraqueza de Deus é mais forte do que os homens.” (1Co 1:25)

 

O SENHOR, como Criador, revela a verdadeira ciência. Estudar é necessário, mas cuidado para não cair na armadilha que a Ciência oferece:

“[…] O saber ensoberbece, mas o amor edifica” (1Co 8:1)

 

“Não sejas sábio aos teus próprios olhos; teme ao SENHOR e aparta-te do mal” (Pv 3:7)

 

Veja: A sabedoria lá do alto (Tg 3:13-18)

Finalmente, o mais importante para ambos os lados: A verdadeira sabedoria – o ensino do Espírito Santo. (cf. 1Co 2:6-16). Os que crêem apenas na ciência secular tornam-se cegos moralmente, e o melhor exemplo disso, talvez seja dos doutores da Lei, e os poderosos que crucificaram o Senhor da Glória, JESUS Cristo. Eles eram poderosos, ricos e bem estudados, porém não entendendo o que estava claro nas Escrituras, cometeram um erro colossal, condenando o Senhor JESUS à morte na cruz.

“A sabedoria, porém, lá do alto é, primeiramente, pura; depois, pacífica, indulgente, tratável, plena de misericórdia e de bons frutos, imparcial, sem fingimento.” (Tg 3:17)

Veja também:

Estatísticas perigosas