“E clamavam uns para os outros, dizendo: Santo, santo, santo é o SENHOR dos Exércitos; toda a terra está cheia da sua glória” (Is 6:3)


Essa tríplice repetição não significa, de algum modo, que Deus é uma trindade. Repetição dupla ou tripla era uma prática literária hebraica bastante comum. Ela era usada basicamente para conseguir maior ênfase. Por exemplo, no Livro do profeta Jeremias, diz:
Ó terra, terra, terra! Ouve a palavra do SENHOR! (Jr 22:29)
 
É óbvio que esse versículo não indica três terras. A tríplice repetição da palavra “santo” indica a existência passada, presente e futura de Deus registrada em Apocalipse 4:8, como se vê a seguir:
“[…] Santo, Santo, Santo é o Senhor Deus, o Todo-Poderoso, aquele que era, que é e que há de vir.”

 

Assim, “Santo, santo, santo” destaca enfaticamente a santidade de Deus e não implica na pluralidade de pessoas.