• Quando o SENHOR deu as Suas Leis, Ele deixou bem claro que ninguém deveria mudar as suas ordens:
“Nada acrescentareis à palavra que vos mando, nem diminuireis dela, para que guardeis os mandamentos do SENHOR, vosso Deus, que eu vos mando.” (Dt 4:2)

 

  • O próprio SENHOR prometeu não alterar Seus mandamentos:
“Não violarei a minha aliança,
nem modificarei o que os meus lábios proferiram.” (Sl 89:34)
 
“Porque eu, o SENHOR, não mudo […]” (Ml 3:6)

 

  • O Senhor Jesus não mudou, nem anulou o Sábado, pelo contrário, Ele confirmou:
“Não penseis que vim revogar a Lei ou os Profetas; não vim para revogar, vim para cumprir. Porque em verdade vos digo: até que o céu e a terra passem nem um i ou um til jamais passará da Lei, até que tudo se cumpra.” (Mt 5:17-18)

 

  • Os discípulos guardavam o Quarto Mandamento – sábado, bem como todos os outros mesmo depois da obra redentora de Jesus. Tiago observou na sua epístola:
“Pois, qualquer que guarda toda a lei, mas tropeça em um só ponto, se torna culpado de todos. Porquanto, aquele que disse: Não adulterarás também ordenou: Não matarás. Ora, se não adulteras, porém matas, vens a ser transgressor da lei.” (Tg 2:10-11)

 

  • A igreja primitiva continuava guardando o sábado:
“No sábado, saímos da cidade para junto do rio, onde nos pareceu haver um lugar de oração […]” (At 16:13)

 

  • Até no último livro da Bíblia vemos a observância do sábado:
“Achei-me em espírito, no dia do Senhor […]” (Ap 1:10)
Ora, de acordo com o nosso Senhor Jesus, o dia do Senhor é sábado:
“Porque o Filho do Homem é senhor do sábado.” (Mt 12:8)