Que Deus abençoe os nossos rins

Em Salmos 16:7 está escrito:

  • “Louvarei ao SENHOR que me aconselhou; até os meus rins me ensinam de noite.” (JFA RC)

O irmão que lê o Versículo acima, logo estranha a palavra rins na mensagem. Veja o mesmo Versículo na outra versão bíblica:

  • “Bendigo o SENHOR, que me aconselha; pois até durante a noite o meu coração me ensina.” (JFA RA)

 

Podemos observar ocorrências semelhantes em:

Sl 7:9;           Sl 26:2;           Pv 23:16;           Lm 3:13;

Jr 11:20;       Jr 17:10;         Jr 20:12;             Ap 2:23;         etc.

 

Por   que   em   algumas   traduções   estão   escritas   rins   e  em outras corações?

 

Resposta:

Essa é uma observação bastante curiosa, mas, na verdade, uma questão cultural. Certamente, você já deve ter visto um gesto como de alguém que põe as mãos nos lombos quando está preocupado, decepcionado, ansioso, etc.

 

Na sociedade ocidental atual, as pessoas relacionam suas emoções, afetos e sentimentos ao coração (peito), embora seja bastante comum também por as mãos na testa ou na nuca. Os antigos hebreus relacionavam as suas emoções aos rins. Por isso, em algumas versões bíblicas, foram traduzidas rins, exatamente como está no hebraico original; mas em outras versões, observando o sentido real da mensagem, foi traduzido mentes ou pensamentos.

 

Os antigos egípcios levavam muito a sério essa questão, tanto que, no processo de mumificação, extraíam-se totalmente o cérebro e órgãos internos do cadáver, exceto o coração e os rins. Já, os orientais relacionam o sentimento à alma. Pergunte às pessoas de várias partes do mundo, onde fica o seu sentimento – uns apontarão para a  própria cabeça; outros para o peito; outros para os lombos.

 

Tomemos  o  exemplo  do  Salmo 7:9  e  observe como ele foi traduzido em algumas versões bíblicas:

  • Português – JFA AtualizadaMente e o coração
  • Português – JFA CorrigidaCorações e rins
  • Português – Linguagem de HojePensamentos e desejo
  • Português – Versão InternacionalMentes e corações
  • Espanhol – RVLos corazones y los riñones
  • Italiano – Giovanni Diodati Cuori e le reni
  • Inglês – King James VersionHearts and reins
  • Inglês – American Standard VersionThe minds and hearts

Há alguns anos, a Sociedade Bíblica do Brasil lançou um livro com alguns exemplos de dificuldades de traduções para diferentes culturas. Veja alguns casos:

  • Em algumas línguas centro-africanas, não puderam traduzir a expressão bater no peito, que está escrita em “A parábola do fariseu e o publicano” (Lc 18:13), pois àquele povo, bater no peito significa orgulhar-se, e nesse caso, a tradução literal traria um significado oposto a mensagem original. A tradução naquela língua, segundo a Sociedade Bíblica Unidas (SBU), ficou bater na cabeça.
  • Em Atos 1:12, em muitas Bíblias está: “como a jornada de um sábado”. Presume-se que os primeiros cristãos entendiam isso perfeitamente. Mas hoje, o leitor precisa ser informado em nota no rodapé da página que a distância equivalente é de 888m. Não podemos ignorar que existem culturas no mundo em que a distância não é medida em quilômetros ou metros, mas em tempo que se demora para percorrer aquela distância. Assim, em uma das traduções na língua filipina, ficou: O tempo que leva para ferver um caldeirão de bananas.
  • No interior de Papua Nova Guiné, um país da Oceania, a equipe da SBU encarregada em traduzir as Escrituras Sagradas encontrou uma grande dificuldade: Naquela região do país, não existe a palavra perdão. Como traduzir a Bíblia para aquele dialeto, se ela fala do perdão em quase todas as suas páginas? Uma equipe de antropólogos foi enviada para analisar o modo de vida daquele povo, e foi observado que por ser um povo altamente vingativo, não existe perdão, nem ao menos no seu vocabulário. Constatou-se que quando alguém é assassinado, a mandíbula da vítima é arrancada pelos familiares e pendurada na porta da casa, querendo dizer com isso: – Não descansaremos enquanto não vingarmos a morte do nosso parente! Segundo a SBU, onde está, por exemplo, O Senhor perdoa, ficou: O Senhor não pendurará a mandíbula na porta. A Bíblia foi traduzida àquele povo e hoje muitos estão conhecendo o amor e o perdão de Deus.

“Nada acrescentareis à palavra que vos mando, nem diminuireis dela, para que guardeis os mandamentos do SENHOR, vosso Deus, que eu vos mando.” (Dt 4:2).

 

E, ao mesmo tempo,

“[…] Ide por todo o mundo e pregai o evangelho a toda criatura. Quem crer e for batizado será salvo; quem, porém, não crer será condenado.” (Mc 16:15-16).

 

A tarefa de traduzir não é fácil. Antigamente, achava-se que uma boa tradução deveria ser feita palavra por palavra; no entanto, muitas vezes, traduzir palavras não é o suficiente, mas traduzir o sentido da mensagem para que o receptor a compreenda plenamente, qualquer que seja a sua cultura.

 

O modo de transmitir a mensagem poderá ser variado, desde que a essência da mensagem não mude. Que Deus abençoe os nossos rins!