Qual o motivo da festa?

Festa é solenidade, comemoração ou cerimônia em regozijo por qualquer fato ou data. Assim define o dicionário. A questão é: qual fato ou data? – porque não existe festa sem comemoração.

Ora, o bom senso diz que se o motivo da festa é pagã, logo não há porque o crente se regozijar naquilo que o SENHOR abomina. Por isso, uma investigação profunda se faz necessário quando se trata de festas populares.

 

“Antes, digo que as coisas que eles sacrificam, é a demônios que as sacrificam e não a Deus; e eu não quero que vos torneis associados aos demônios. Não podeis beber o cálice do Senhor e o cálice dos demônios; não podeis ser participantes da mesa do Senhor e da mesa dos demônios.” (1Co 10:21-22)

 

 

Festas pagãs não são ambientes propícios para os crentes

Não cabe a nós gritarmos -Viva São João! sabendo que ele morreu há quase dois milênios. Semelhantemente, sair distribuindo ovos de chocolate; enfeitar pinheiros, vestir-se de Papai Noel ou desejar assistir ou desfilar no carnaval são atitudes que constrangem o Evangelho.

 

 

“Não ameis o mundo nem as coisas que há no mundo. Se alguém amar o mundo, o amor do Pai não está nele.” (1Jo 2:15)

 

Desculpas como: “Alegrar com os que se alegram”; “Fazer-se grego para conquistar os gregos” não são boas ideias; muito menos pular carnaval com a desculpa de evangelizar – ninguém diria o mesmo ao visitar um bordel. As Palavras por si só já nos indicam o caminho que devemos seguir:

 

“Não vos ponhais em jugo desigual com os incrédulos; porquanto que sociedade pode haver entre a justiça e a iniquidade? Ou que comunhão, da luz com as trevas? Que harmonia, entre Cristo e o Maligno? Ou que união, do crente com o incrédulo? Que ligação há entre o santuário do Deus vivente e os ídolos? Porque somos santuário do Deus vivente, como ele próprio disse: Habitarei e andarei entre eles; serei o seu Deus, e eles serão o meu povo. Por isso, retirai-vos do meio deles, separai-vos, diz o Senhor; não toqueis em coisa impuras; e eu vos receberei.“ (2Co 6:14-17)

 

 

“Porque basta o tempo decorrido para terdes executado a vontade dos gentios, tendo andado em dissoluções, concupiscências, borracheiras, orgias, bebedices e em detestáveis idolatrias. Por isso, difamando-vos, estranham que não concorrais com eles ao mesmo excesso de devassidão, os quais hão de prestar contas àqueles que é competente para julgar vivos e mortos.” (1Pe 4:3)

 

“E não conformeis com este século, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus.” (Rm 12:2)

 
 

CONFIRA

HTTP://WWW.YOUTUBE.COM/WATCH?V=BEBASHQULW4