Podemos participar de festas?

Festas são solenidades, comemorações ou cerimônias em honra e regozijo por qualquer fato ou data.

Na Bíblia vemos algumas festas que os judeus comemoravam: Tabernáculo, Pentecostes, Páscoa, Purim. É importante notar que todas estas festas tinham como o anfitrião e o homenageado o SENHOR. O povo de Deus descansava, dava louvores, entoava cânticos e oferecia sacrifícios (presentes) sempre observando as regras da festa.

“Lá, comereis perante o SENHOR, vosso Deus, e vos alegrareis em tudo o que fizerdes, vós e as vossas casas, no que vos tiver abençoado o SENHOR, vosso Deus.” (Dt 12:7)

 

A principal diferença entre festas bíblicas e populares, é o homenageado

Não podemos promover e participar de festas em louvor a homens, a datas ou a divindades pagãs. Não existem festas sem motivo, por isso, é necessário conhecer o motivo. Eis o motivo de algumas festas bíblicas:

  • Pentecostes- também chamada Festa da Sega (Êx 23:16); Festa das Semanas (Êx 34:22) ou Primícias dos Frutos (Nm 28:26): Festa em louvor a Deus que dá fartura ao seu povo.
  • Páscoa – Antigo Testamento: Festa em louvor a Deus que libertou o povo de Israel do jugo egípcio (Êx 12). Novo Testamento: Festa em louvor a Jesus Cristo que se fez o Cordeiro de Páscoa para nos libertar do jugo do inimigo.
  • Purim: Festa em louvor ao SENHOR pela libertação da morte (Et 9:17-22)

Nas nossas festas, o louvor ao Senhor deverá ser sempre nítido e objetivo. Observe que nas festas pagãs sempre há atrativos como alimentos e bebidas em abundância, bem como músicas mundanas e gincanas para confundir o verdadeiro objetivo.

“E não vos conformeis com este século, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus.” (Rm 12:2)

 

Calendário chinês

Ano novo chinês: o que estão fazendo?

As festas citadas acima são festas judaicas do Antigo Testamento, e você pode dizer que nós que não somos judeus não temos obrigação de participar delas. Eu concordo; mas isto não quer dizer que, já que somos gentios , podemos promover festas do mundo e dela participarmos. Pense:

O ano novo chinês está chegando. Por ser um calendário baseado no movimento lunar e solar, o ano novo do calendário chinês não cai sempre no mesmo dia do ano. O ano novo chinês cairá no correspondente ao dia 31 de Janeiro do calendário ocidental. Você vai comemorar? Se um cidadão não mora num país onde se adota o calendário chinês, tampouco é chinês, é quase certo que não irá comemorar – provavelmente deve ter comemorado o 1º de Janeiro do calendário ocidental.

 

O que é calendário ocidental?

O calendário ocidental é o calendário oficial adotado por maioria dos países. É herança dos antigos romanos reformado pelo Papa Gregório XIII em 1582; daí chamar-se Calendário Gregoriano.

O primeiro mês do calendário gregoriano é Janeiro, em homenagem ao deus falso Janus. Segundo a mitologia romana, Janus é deus da entrada e saída (porta), da transição, e do início. As festas de passagem de ano são homenagens a deuses pagãos que ainda hoje estão bem presentes, porém camuflados. Se você acha isso tudo exagero da minha parte, procure saber quem representa: a Estátua da Liberdade em Nova Iorque; o busto das notas de Real; ou a mulher de olhos vendados, símbolo da justiça e verá que os deuses falsos ainda andam a solta!

Não temos como Senhor e Salvador, ninguém além de Jesus Cristo. Só Ele é a Porta (Jo 10:7 e 9); Justo (Sl 119:137); Libertador (Sl 129:4) o Primeiro e o Último (Ap 1:17); o Princípio e o Fim (Ap 22:13). Embora vivendo no mundo que adotou o Calendário Gregoriano, não somos cidadãos do império romano, nem súditos do Papa Gregório XIII tampouco adoradores de Janus – seus feriados e datas comemorativas não significam nada a nós. Não somos chineses nem americanos, gregos ou romanos, livres ou escravos, mas cidadãos do reino celestial.

“Pois a nossa pátria está nos céus, de onde também aguardamos o Salvador, o Senhor Jesus Cristo” (Fp 3:20)

 

Assim, se o motivo da festa é pagã, não há porque o crente se regozijar naquilo que o SENHOR abomina. Por isso, uma investigação profunda se faz necessário quando se trata de festas populares.

Em 1Co 10, Paulo faz sérias advertências à respeito de festas pagãs:

“Não vos façais, pois, idólatras, como alguns deles; porquanto está escrito: O povo assentou-se para comer e beber e levantou-se para divertir-se. E não pratiquemos imoralidade, como alguns deles o fizeram, e caíram, num sódia, vinte e três mil.” (1Co 10:7-8)

 

Do que se trata este versículo?

Lugar impróprio aos crentes
Você se lembra desta cena? Este carro alegórico se incendiou durante o desfile

Paulo se referiu ao acontecimento registrado em Nm 25:1-18, quando o povo de Deus que  deveria se santificar, aceitando o convite de moças moabitas inclinou-se perante os deuses pagãos para oferecer sacrifícios. Na linguagem bíblica, isto também é chamado de prostituição, que é pecado.

“Antes, digo que as coisas que eles sacrificam, é a demônios que as sacrificam e não a Deus; e eu não quero que vos torneis associados aos demônios. Não podeis beber o cálice do Senhor e o cálice dos demônios; não podeis ser participantes da mesa do Senhor e da mesa dos demônios.” (1Co 10:20)

 

Ao receber convite de festas, procure saber o motivo da festa; se o SENHOR está ou não presente, para que não acabe se prostrando, mesmo sem perceber, diante de abominações para a ira do SENHOR. Sem a presença do Senhor Jesus Cristo, não há verdadeiro motivo para se alegrar; é engano, é cilada! A ordem é: “[…] Santificai-vos e sede santos, pois eu sou o SENHOR, vosso Deus.” (Lv 20:7)

 

E as festas de aniversário?

As festas de aniversário devem ser também em homenagem ao SENHOR que nos deu a vida. O aniversariante, com toda humildade perante Deus, deve convidar todos a louvar ao SENHOR misericordioso que lhe deu vida e abençoou até o presente momento.  Quem deve receber honras e cumprimentos não é o homem (aniversariante), e sim o SENHOR. É um momento de reflexão e gratidão para com o SENHOR, que nos criou. O mesmo digo a respeito das festas de casamento, noivado, inauguração, formatura, etc.

“[…] Até aqui nos ajudou o SENHOR” (2Sm 7:12)

“Qual de vós, por ansioso que esteja, pode acrescentar um côvado ao curso da sua vida?” (Mt 6:27)

 

Festas pagãs não são ambientes propícios aos crentes

Adaptar festas pagãs à doutrina evangélica e vice-versa não é certo.

Comumente muitos cristão dizem: Comemoro Natal, Carnaval, e outras festas; mas não do jeito como fazem as pessoas do mundo. O que querem dizer é que eles adaptaram festas de origem mundana às suas vidas e à igreja. Assim, coisas que não fazem sentido vêm se infiltrando na fé, e o evangelho passa a perder o seu foco. A Bíblia chama essa contaminação de “o Velho Fermento”. Lembre-se do que aconteceu no grande banquete oferecido por rei Belsazar em Daniel Capítulo 5 e At 12:21-23.

“[…] Não sabeis que um pouco de fermento leveda a massa toda? Lançai fora o velho fermento, para que sejais nova massa, como sois, de fato, sem fermento […]” (1Co 5:6-7)

 

“Não ameis o mundo nem as coisas que há no mundo. Se alguém amar o mundo, o amor do Pai não está nele.” (1Jo 2:15) 

 

“Alegrar-se com os que se alegram”; “fazer-se grego para conquistar os gregos” ou “pular carnaval para evangelizar” não passam de desculpas para satisfazer o desejo carnal.

“Não vos ponhais em jugo desigual com os incrédulos; porquanto que sociedade pode haver entre a justiça e a iniquidade? Ou que comunhão da luz com as trevas? Que harmonia, entre Cristo e o Maligno? Ou que união do crente com o incrédulo? Que ligação há entre o santuário do Deus vivente e os ídolos? Porque somos santuários do Deus vivente, como ele próprio disse: Habitarei e andarei entre eles; serei o seu Deus, e eles serão o meu povo. Por isso, retirai-vos do meio deles, separai-vos, diz o Senhor; não toqueis em coisas impuras; e eu vos receberei.” (2Co 6:14-17)

 

“Porque basta o tempo decorrido para terdes executado a vontade dos gentios, tendo andado em dissoluções, concupiscências, borracheiras, orgias, bebedices e em detestáveis idolatrias. Por isso, difamando-vos, estranham que não concorrais com eles ao mesmo excesso de devassidão, os quais hão de prestar contas àqueles que é competente para julgar vivos e mortos.” (1Pe 4:3-5)

 

Deixar de honrar a Deus é  pecado

Conscientize-se: Para muitas pessoas, o importante é o clima festivo com muita alegria, brincadeira, música, comida e bebida,  mesmo sem saber exatamente o que está se comemorando. Este é um ambiente ideal para o inimigo se infiltrar. Cuidado! 

“Pois eles mudaram a verdade de Deus em mentira, adorando e servindo a criatura em lugar do Criador, o qual é bendito eternamente. Amém!” (Rm 1:25)

 

“Quem sacrificar aos deuses e não somente ao SENHOR será destruído.” (Êx 22:20)

Um homem de Deus sair distribuindo ovos de chocolate, enfeitar pinheiros, vestir-se de Papai Noel, desejar assistir ou desfilar no carnaval, participar de Festa Junina, Festa do Peão, Oktoberfest, Halloween e outras, são aberrações que constrangem o Evangelho.

Não existe verdadeira alegria sem o Senhor Jesus. Que estejamos sempre em festa com o Senhor Jesus, para a Sua glória, para em breve podermos participar da festa eterna no céu. Amém!