Pastor – chamado e profissão árdua, mas recompensadora

“Sede obedientes aos vossos líderes espirituais e submissos à autoridade que exercem. Pois eles zelam por vós como quem deve prestar contas de seus atos; para que ministrem com alegria e não murmurando, porquanto desta maneira tal ministério não seria proveitoso para vós outros.” (Hb 13:7)

 

A Palavra acima nos mostra o quanto devemos ser obedientes aos nossos líderes (bispos, presbíteros, pastores, mestres, diáconos), pois eles carregam a missão de cuidar da família de Deus, de ensinar e levar os conhecimentos bíblicos, para que todos recebam a salvação, e isso é uma responsabilidade muito grande para estes que trabalham na obra de Deus.

 

Versículos relacionados:

  • 1 Pe 2:17 – “Tratem a todos com o devido respeito: amem os irmãos, temam a Deus e honrem o rei”.
  • Mt 10:40 – “Quem recebe vocês, recebe a mim; e quem me recebe, recebe aquele que me enviou”.
  • Fp 2:29 – “E peço que vocês o recebam no Senhor com grande alegria e honrem homens como este”.
  • 1 Tm 5:17 – “Os presbíteros que lideram bem a igreja são dignos de dupla honra, especialmente aqueles cujo trabalho é a pregação e o ensino”.
  • Lc 18:20 – “Honra teu pai e tua mãe”.
  • Hb 13:7 – “Lembrem-se dos seus líderes, que transmitiram a palavra de Deus a vocês. Observem bem o resultado da vida que tiveram e imitem a sua fé”.
  • Tt 3:1 – “Lembre a todos que se sujeitem aos governantes e às autoridades, sejam obedientes, estejam sempre prontos a fazer tudo o que é bom”.

 

Por: Akemi Zaha

O verdadeiro pastor entrega sua vida ao ministério e suas ovelhas, por isso, cabe a todos os irmãos orarem pelos seus pregadores.

O verdadeiro valor de um pastor não está na quantidade do público que atrai, no tamanho de sua igreja ou na sua popularidade, mas está em sua fidelidade e caráter a Deus. Além disso, seu valor não se baseia na aprovação de homens, mas segundo o coração de Deus (Jr. 3:15).

O pastor é aquele que supre seu rebanho com a Palavra de Deus, não com volume de entradas financeiras.

O pastor é aquele que possui em seu caráter, qualidades éticas, espirituais e morais, não aquele que faz de qualquer jeito.

O pastor batalha pelo serviço que presta à Obra do SENHOR, não aquele que mede unicamente o salário que ganha.

O pastor é o homem que permanece justo e reto diante de Deus, seu valor está em servir e agradar a Deus, não ao mundo.

O pastor prega valores do Evangelho que transforma almas e as converte, sua pregação não é baseada em agradar egos humanos, mas em salvar almas.

O pastor não precisa ter status ou poder diante dos homens, pois seu valor está na submissão e obediência ao Deus Único.

O pastor tem sua força vinda do aperfeiçoamento do poder de Deus, e não unicamente na sua própria força e autossuficiência (2 Co 12:9).

O pastor e seu valor está em sua condição espiritual e não em sua condição física.

O pastor tem o seu valor no amor pelas pessoas e não baseado na quantidade de amigos e pessoas que o rodeiam; o pastor é dependente de Deus e não de homens.

O pastor é medido por critérios divinos e não humanos. O seu valor não se baseia pelas crises que deixa de passar, mas sim na maneira em que passa pelos momentos difíceis. É por meio do pastor que Deus realiza grandes feitos e transforma vidas. O pastor não se baseia em número de fieis, mas se baseia em como está a saúde de seu rebanho. Seu valor não está dentro de seus discursos, mas na autoridade de seu viver (Mt 7:9).

Seu valor não inclui tamanho de igreja, quantidade de fieis ou crescimento quantitativo, mas sim em transformações que suas pregações causam na vida de suas ovelhas. Seu valor está em resgatar almas do mundo, e é através do pastor de valor que se forma fieis de valores.

 

Stress pastoral

O trabalho de pastorear o rebanho de uma igreja foi incluído na lista de 10 profissões mais estressantes do mundo (Revista EXAME setembro/2016). É maravilhoso servir ao Senhor, nosso Deus, até que começam surgir Datãs, Abirãos, Corés (Nm 16), Judas (Mt 26:24), Alexandres (2Tm 4:14), Himeneus, Filetos (2Tm 2:16) e outros que esquecem do papel da igreja, do pastor, de si mesmos, e principalmente da graça redentora do nosso Senhor JESUS Cristo.

 

Homens que não temem a Deus, sem respeito, nem educação confundem a autoridade pastoral com arrogância e pensam: se você pode, porque eu não posso? Tem aqueles que querem ensinar o pastor (eu não sou orgulhoso, mas não posso aceitar ensinamentos antibíblicos ou de pessoas que não tenha bons e constantes testemunhos). – isso é inversão de valores. Os nossos pastores são estudados, disciplinados, doutrinados durante muitos anos para serem ungidos:

“[…] Não sejamos mais como crianças, levados de um lado para o outro pelas ondas teológicas, nem jogados para cá e para lá por todo vento de doutrina e pela malícia de certas pessoas que induzem os incautos ao erro.” (Ef 4:14 – Bíblia King James Atualizada)

 

Confrontar as pessoas com tais atitudes reprovadas pelo Senhor e pelos seus apóstolos é um dos motivos que causam grande desgaste em qualquer obreiro sério de Deus. Repare que quando o inimigo usa as pessoas para confrontar um ministro de Deus, acontece um confronto desigual: O confrontador não observa a Palavra e age conforme o mundo com palavras de baixo calão, porém o pastor, apesar de tudo, deve ser exemplar agindo com amor, racionalmente, com fé para livrar a vítima do laço do Diabo (cf. 2 Tm 2:23-26). Outras vezes, vemos os nossos queridos irmãos, ovelhas de Deus, brigando por pequenas coisas, como acontecia em Corinto, nos tempos do apóstolo Paulo – isto é decepcionante. Por isso, na Epístola aos Hebreus está:

“[…] Para que ministrem com alegria e não murmurando, porquanto desta maneira tal ministério não seria proveitoso para vós outros.” (Hb 13:7)

 

Veja:

http://www.cpadnews.com.br/universo-cristao/31905/%C2%B4pastores-estao-em-grupo-de-maior-risco-a-doencas-advindas-do-estresse%60.html

http://www.institutojetro.com/Artigos/lideranca-pastoral/esgotamento-fisico-e-mental-em-pastores.html