Pais & Filhos

imagesEducar filhos no Evangelho não é só ficar contando historinhas do tipo: Os bichinhos foram entrando de dois em dois na arca: a dona girafa, o seu rinoceronte, o porquinho, cada um com o seu par…
Educar filhos no Evangelho é viver o Evangelho do Senhor JESUS, num ambiente onde se observa e se cumpre as ordens divinas:
“Vivei, acima de tudo, por modo digno do evangelho de Cristo […]” (Fp 1:27)
 
Esta é uma tarefa complexa. Vivemos a época prevista nas profecias em que o mundo está infestado de “transgressores e rebeldes, irreverentes e pecadores, ímpios e profanos, parricidas e matricidas, homicidas, impuros, sodomitas, raptores de homens, mentirosos, perjuros” e opositores da sã doutrina (Cf. 1Tm 1:9-11).
Veja no final da página: erros mais comuns ao educar filhos e suas consequências
Muitas vezes, os pais erram por repreenderem os filhos no momento errado, outras vezes, por não repreenderem. Por exemplo, querem filhos estudiosos, que obtenham boas notas na escola, para que, futuramente, tenham uma vida mais confortável. Como consequência, quando as crianças não atingem as metas estipuladas pelos pais, são punidas. Por acaso, é isto que nos ensina o Evangelho?

 

Caros irmãos, o seu filho pode tirar nota dez em tudo na escola, porém isso não significa que será salvo no Dia do Senhor. E, ainda mais, em 1Tm 6:9, diz:
“Ora, os que querem ficar ricos caem em tentação, e cilada, e em muitas concupiscências insensatas e perniciosas, as quais afogam os homens na ruína e perdição.” 

 

É isso que você deseja ao seu filho? Tenho certeza que não!

 

Devemos repreender severamente quando os nossos filhos se voltam para o pecado – que não se resume somente em contar mentirinhas ou furtar. Por exemplo:

 

Um filho rebelde que responde aos pais (não importa a idade) – porque na Bíblia diz: “Honra teu pai e tua mãe […]” (Êx 20:12) e, “[…] A rebelião é como o pecado de feitiçaria, e a obstinação é como a idolatria e culto a ídolos do lar. […]” (1Sm 15:23). Ensine logo cedo a temer a Deus. Quem não teme a Deus, não temerá os pais, nem os pastores, nem os professores, nem a polícia, nem o juiz, nem a morte…

 

Não diga tolices como:
  • o meu filho escolherá a religião de sua preferência quando crescer;
  • hoje, o meu filho não quis vir à igreja, e eu não vou forçá-lo;
  • ainda é muito pequeno para disciplinar, quando crescer vai aprender.
“Ensina a criança no caminho em que deve andar, e, ainda quando for velho, não se desviará dele.” (Pv 22:6)

 

“Entrai pela porta estreita (larga é a porta, e espaçoso, o caminho que conduz para a perdição, e são muitos os que entram por ela)” (Mt 7:13)

 

As palavras de Deus são ferramentas poderosas para a correção. Quando punimos os nossos filhos com amor, com intuito de corrigir e educar, eles não crescerão traumatizados ou com ódio, e sim sabendo reconhecer a correção, e com o tempo, serão gratos aos pais; porém quando os pais descarregam nos seus filhos a ira, o egoísmo, a raiva, o stress, etc., certamente ficarão traumatizados.
“Corrige o teu filho, e te dará descanso, dará delícias à tua alma.” (Pv 29:17)

 

“Porque o Senhor corrige a quem ama e açoita a todo filho a quem recebe. É para disciplina que perseverais (Deus vos trata como filhos); pois que filho há que o pai não corrige?” (Hb 12:6-7)
 
Se seu filho é desobediente, teimoso e respondão, jamais pense que é uma criança espertinha ou inteligente e que por isso sempre tem respostas na “ponta da língua”. Não ache isso engraçado. Se não for corrigido com determinação, certamente se perderá. Obstinação (teimosia) é pecado; a desobediência é como pecado de feitiçaria; e a falta de respeito, blasfêmia.
“Não retires da criança a disciplina, pois, se a fustigares com a vara, não morrerá. Tu a fustigarás com a vara e livrarás a sua alma do inferno.” (Pv 23:13-14)

 

Afinal, o que é Evangelho? Evangelho é:
JESUS Cristo morreu por amor a mim e a vocês, para remover e perdoar os nossos pecados. Então, o evangelho é salvação, perdão, amor, reconciliação, preocupação com o próximo. Veja o Mistério do Evangelho.

 

Assim, devemos educar filhos no Evangelho, para o Evangelho do Senhor. Filhos como Moisés, Samuel, Davi, Timóteo, e muitos outros que, desde cedo, viveram na fé, e se preocuparam com o Evangelho da Salvação. Eduquem os filhos para:
“Que pratiquem o bem, sejam ricos de boas obras, generosos em dar e prontos a repartir; que acumulem para si mesmos tesouros, sólido fundamento para o futuro, a fim de se apoderarem da verdadeira vida.” (1Tm 6:18-19)

 

Irmãos, sejam pais responsáveis, pois essas crianças e jovens não são somente suas, e sim do Senhor JESUS (Cf. Mt 19:13-15). Pastores que oram e se preocupam com os filhos dos irmãos – não se esqueçam de disciplinar os seus próprios filhos. Lembrem-se que o Senhor Deus puniu severamente os filhos do sacerdote Eli (este que soube educar o tão abençoado profeta, sacerdote e juiz Samuel, parece que se esqueceu de cuidar dos seus próprios filhos – 1Sm 2:27-36 e 3:5-11). Incrivelmente, semelhante fato se repete com os filhos de Samuel: o pai, um profeta de Deus, porém os filhos imprestáveis, avarentos e corruptos.

 

“E tu, ó Timóteo, guarda o que te foi confiado, evitando os falatórios inúteis e profanos e as contradições do saber, como falsamente lhe chamam, pois alguns, professando-o, se desviaram da fé. A graça seja convosco.” (1Tm 6:20-21)

 

Atente para não cair na cilada de instruir os seus filhos no engano para mais tarde procurar corrigi-los. Numa festa, por exemplo, não deixe que o seu filho (não importa a idade) seja centro de todas as atenções para que não venha a ser egocêntrico futuramente. O crente deve ser cristocêntrico e exalar o bom perfume de Cristo, seja onde estiver; sempre preocupado em exaltar o Senhor, nunca a si mesmo. 

 

Clique e veja: Infantolatria – erros mais comuns ao educar filhos e suas consequências