O termo ELOHIM não justifica a Trindade

Se você observou a tabela da postagem anterior, deve ter notado que o nome que aparece nas Bíblias hebraicas Elohim é plural de Eloah, e ambos são comumente traduzidos como Deus, ou Criador nas nossas versões.

Veja: http://gloria-aleluia.org.br/nome-de-deus/

Veja um exemplo:

“בְּרֵאשִׁית בָּרָא אֱלֹהִים” (No princípio criou Elohim);

“No princípio, criou Deus […]” (Gn 1:1)

 

Uso do termo Elohim

Embora Elohim esteja na forma plural, raramente é usada no Antigo Testamento no sentido de “deuses”. Podemos notar que a Bíblia hebraica usa este termo mesmo quando se refere:

  1. ao único e verdadeiro Deus Criador (Gn 1:1)
  2. a um único deus pagão como acontece em Jz 11:24; 1 Rs 11:5 e 2 Rs 1:2;
  3. aos seres sobrenaturais como em 1 Sm 28:13;
  4. aos juízes humanos como em Sl 82:1.

A palavra Elohim, quando se refere ao único Deus é sempre traduzido no singular em todas as traduções da Bíblia. Já quando se refere a vários deuses pagãos (ex: Gn 31:30; Êx 12:12, Sl 96:5; 97:7, etc.), é traduzido como “deuses“. Em outros casos a maneira determinante para traduzir Elohim depende do contexto e do verbo.

 

Quando se refere ao SENHOR Deus, o termo Elohim é plural, mas o seu sentido não

No hebraico, o sufixo “im” do final da palavra Elohim, corresponde ao nosso “s” que indica a pluralidade da palavra. Por isso, é verdade que o termo Elohim é forma plural de Eloah; porém, devemos prestar atenção no seu sentido: Ele não é plural quando se refere ao SENHOR Deus.

 

Entretanto, não só porque a palavra termina com “s” que devemos entender como no plural. No hebraico bíblico, um substantivo que é plural em forma não é necessariamente plural em significado. Para você entender melhor como é isto, tomemos como exemplo a palavra “ônibus” ou “lápis” – Como saber se essas palavras estão no singular ou no plural? Ora, isto é fácil para quem conhece o idioma português (porém pode ser confuso para quem não fala este idioma): basta verificar o contexto da mensagem em que aparecem essas palavras, verificando o artigo, adjetivo e verbo que compõem a frase, e saberá se está no singular ou no plural. Observe:

  • Esqueceram um lápis no ônibus – lápis e ônibus estão no singular;
  • Em qual daqueles ônibus estará o meu lápis? – ônibus no plural e lápis no singular.

 

Assim também acontece no hebraico bíblico quando se refere ao único Deus – o termo Elohim é sempre acompanhado de verbo no singular, como o exemplo em Gn 1:1. Se o sentido de Elohim também fosse plural, estaria acompanhado de verbo no plural ficando: “No princípio, criaram […]”.

 

A forma singular de Elohim é Elah, Eloah, ou simplesmente, El. Estes termos são substantivos comum, e podem se referir ao verdadeiro ou falso deus. Em termos gramaticais, quando Elohim se refere ao nosso único e verdadeiro Deus, aproxima-se mais do caráter de um substantivo próprio.

Veja: http://gloria-aleluia.org.br/nome-e-nome-proprio/

 

Neste caso, o termo Elohim é plural majestático, nunca plural numérico. Por isso, se o leitor se concentrar apenas no substantivo, desconsiderando o contexto, correrá o risco de cometer um erro fundamental de interpretação, como já fizeram muitos, alegando ser Elohim, uma referência à Trindade.

 

O plural Elohim não justifica o fundamento trinitário

O fato da palavra Elohim estar no plural é um dos principais argumentos trinitarista para justificar o seu ensino. A Bíblia sempre ensinou que Deus é absolutamente único. Deus é indivisível e a fé que a Bíblia nos ensina é monoteísta:

“Ouve, Israel, o SENHOR, nosso Deus, é o único SENHOR.” (Dt 6:4)

 

“[…] Para que saibais, e me creiais, e entendais que sou eu mesmo, e que antes de mim, deus nenhum se formou, e depois de mim nenhum haverá.” (Is 43:10)

 

A tentativa de introduzir o conceito politeísta da Trindade no cristianismo monoteísta torcendo o real significado de Elohim é desonestidade. Trinitarismo é fantasioso, ilógico, confuso e contrário às escrituras e descaracteriza a natureza única de Deus.

 

Não é certo dizer que Elohim tem sentido trinitarista. Basta conferirmos Êx 7:1, onde o SENHOR diz constituir Moisés como Elohim. Ora, seria um grande absurdo pensar que havia uma pluralidade em Moisés, ou que Moisés era parte de uma Trindade.

 

Mas alguém poderia argumentar dizendo que Êx 7:1 se refere à dupla Moisés e Arão como no ensino binitarista; porém este argumento pode ser facilmente derrubado ao conferirmos Êx 4:16, onde Arão aparece como um terceiro. Conclusão: Moisés era o único elohim (juiz dos juízes) nomeado por Deus no deserto.

 

O uso indevido do termo Elohim, assim como a sua interpretação errônea para justificar a ideia trinitarista por si só não se sustenta. Enquanto todo o contexto bíblico afirma que Deus é único, ninguém pode trafegar pela contra-mão afirmando uma pluralidade divina baseado em estudos superficiais e irresponsáveis.

Veja: http://gloria-aleluia.org.br/o-que-significa-expressao-sois-deuses-sl-826/

 

Porque a Bíblia hebraica usa o termo Elohim?

Desde a mais remota antiguidade, vários povos pagãos têm atribuído maravilhas a seus deuses específicos, acreditando serem responsáveis, cada qual pelo seu “departamento”. A exemplo disso, podemos citar os deuses mitológicos da guerra, da chuva, do vento, etc. que tinham poderes e habilidades para resolver certos problemas específicos; ou, igualmente, santos católicos protetores ou padroeiros com suas áreas de atuação (santo casamenteiro, protetor dos motoristas, das crianças, do Brasil, etc). Mas o que diz a Bíblia?

 

O termo Elohim é derivado de “El” que significa “Poderoso”, ou “Forte”. Ao lermos Salmos 29, aprendemos que todas as maravilhas são do SENHOR Deus. Não existe um deus específico que cuida da chuva, outro do fogo, outro da neve, etc., mas um único SENHOR Todo-Poderoso e Onipotente governa tudo, e sobre todos. ELE é o único El-Elohim, ou seja, o “Poderoso dos poderosos”.

 

Provavelmente o título “Poderoso dos poderosos” foi encurtado e passou-se a dizer apenas “Poderosos”, à semelhança de “Santo dos santos” que com encurtamento da palavra, passou a “Santos”; ou ainda “Deus dos deuses”, como está em Sl 135:2. No idioma hebraico, dizer Elohim é como encurtar o título de Deus “O maior de todos os deuses”, e dizer apenas “deuses”; ou ainda, é como escrever DEUS em letras maiúsculas para destacar na leitura, embora não haja maiúsculas no hebraico.

 

É por esta razão que desde o primeiro versículo da Bíblia (Gn 1:1) já encontramos Elohim (Deus, o Poderoso) nas narrações a respeito da criação do universo ensinando que todas as forças de manutenção da vida no universo vem do único Deus Poderoso, criador do universo. Esta é a mensagem contida no nome Elohim que é digno de adoração e louvor.