O Sol foi criado depois da Terra?

Segundo o Livro de Gênesis, o Sol e os demais luzeiros do firmamento celeste foram criados no quarto dia. Então que luz é aquela citada no segundo dia da criação?

“Disse Deus: Haja luz, e houve luz.” (Gn 1:3)

 

A solução para esta dúvida da primeira página da Bíblia, está nas últimas páginas do Livro de Apocalipse. Veja:

“Então, já não haverá noite, nem precisam eles de luz de candeia, nem da luz do sol, porque o Senhor Deus brilhará sobre eles, e reinarão pelos séculos dos séculos.” (Ap 22:5)

 

A luz solar que entra pelas janelas, bem como lâmpadas elétricas, iluminam os ambientes dentro das nossas casas, porém não o nosso coração. O Versículo acima diz a repeito dos crentes desfrutando a vida eterna na presença de Deus. Repare que na vida eterna, não haverá necessidade de luzeiros, porque o próprio SENHOR brilhará e reinará sobre os salvos.

 

O Senhor JESUS declarou ser a luz do mundo (Jo 8:12), mas isto não quer dizer que o Senhor emitia radiações eletromagnéticas entre o infravermelho e ultravioleta. A luz citada em Gn 1:4 trata-se da manifestação da glória de Deus em forma de luz. Veja alguns exemplos:

  • “Luz para revelação aos gentios, e para a glória do teu povo de Israel” (Lc 2:32);
  • “Se, portanto, todo o teu corpo for luminoso, sem ter qualquer parte em trevas, será todo resplandecente como a candeia quando te ilumina em plena luz.” (Lc 11:36);
  • “[…] E o Verbo era Deus […] A vida estava nele e a vida era a luz dos homens.” (Jo 1:1-4);
  • “Este veio como testemunha para que testificasse a respeito da luz, a fim de todos virem a crer por intermédio dele.” (Jo 1:7);
  • “E o julgamento é este: que a luz veio ao mundo, e os homens amaram mais as trevas do que a luz; porque as suas obras eram más.” (Jo 3:18);

Muitos povos pagãos da antiguidade, principalmente os egípcios, adoravam o sol como uma divindade, mas, antes de sua existência, Deus já existia em toda sua glória (Sl 90:2; 102:25-27; Is 40:28; Jo 5:26; 1Tm 1:17; 6:16).

 

Saulo relatou que quando se dirigia a Damasco, uma grande luz brilhou repentinamente ao seu redor e em seguida ouviu uma voz. Ao indagar por quem falava, Saulo ouviu a resposta: “Eu sou Jesus, o Nazareno, a quem tu persegues” (At 22:8). Ao descrever a sua conversão, Saulo foi cuidadoso em dizer que tal acontecimento se deu “quase ao meio-dia” (At 22:6), quando o luzeiro maior (Gn 1:14-18) estava iluminando plenamente o seu redor, porém, uma outra Luz, isto é, o próprio Senhor JESUS de Nazaré se revelou ao Saulo, e este ficou temporariamente cego. Saulo não enxergava mais nada com os seus olhos, mas o seu coração duro foi iluminado e passou a enxergar o resplendor de Deus, convertendo-se: de um grande perseguidor a um grande apóstolo e pregador das palavras de Deus. Aleluia!

 

“O SENHOR é Deus, ele é a nossa luz; adornai a festa com ramos até às pontas do altar.” (Sl 118:27)