Jesus Cristo é o eterno e verdadeiro Deus que se fez homem para suprir a necessidade da humanidade. O termo “Emanuel” que significa “Deus conosco” citado em Mateus 1:23 mostra que Deus está como homem e entre os homens:
“Eis que a virgem conceberá e dará à luz um filho, e ele será chamado pelo nome de Emanuel (que quer dizer: Deus conosco)” (Mt 1:23)

 

“E o Verbo se fez carne e habitou entre nós, cheio de graça e de verdade, e vimos a sua glória, glória como do unigênito do Pai.” (Jo 1:14)

 

Na história do cristianismo, surgiram muitos hereges, uns negando a divindade de Jesus Cristo; outros afirmando que Jesus era só Deus e que nada havia nele de humano. Os gnósticos ensinavam que Jesus não teve corpo humano, mas apenas espiritual. A verdade é que todos eles erraram, porque a Bíblia diz:

Nisto reconheceis o Espírito de Deus: todo espírito que confessa que Jesus Cristo veio em carne é de Deus; e todo espírito que não confessa a Jesus não procede de Deus; pelo contrário, este é o espírito de anticristo […] ” (1Jo 4:2-3)



A humanidade de Jesus Cristo não neutraliza a sua divindade, pois Ele possui duas naturezas: a humana e a divina, o que está claramente expresso no Seu nome Emanuel.

 

Por que Jesus veio como homem?

Jesus foi revestido do corpo humano porque o pecado entrou por um homem, e segundo a própria Lei de Deus, tinha de ser vencido por um homem. A Bíblia diz que o pecado entrou no mundo por Adão:
“Portanto, assim como por um só homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado, a morte, assim também a morte passou a todos os homens, porque todos pecaram.” (Rm 5:12).
 
“Pois assim como, por uma só ofensa, veio o juízo sobre todos os homens para condenação, assim também, por um só ato de justiça, veio a graça sobre todos os homens para a justificação que dá vida.” (Rm 5:18).
 
“Porque, como, pela desobediência de um só homem, muitos se tornaram pecadores, assim também, por meio da obediência de um só, muitos se tornarão justos.” (Rm 5:19).

 

Jesus se fez carne; fez-se homem sujeito ao pecado, embora nunca houvesse pecado, e venceu o pecado como homem. A Bíblia nos mostra que todos os homens estão condenados: que os homens estão perdidos e debaixo da maldição do pecado (cf. Sl 14:2-3; Rm 3:23). Todos são devedores, e por isso ninguém pode pagar a dívida do outro. A Bíblia diz que somente Deus pode salvar:
“Eu, eu sou o SENHOR, e fora de mim não há salvador.” (Is 43:11)

 

Então, esse mesmo Deus se fez homem, trazendo-nos perdão de nossos pecados e cumprindo ele mesmo a lei que promulgara (cf. At 4:121Tm 3:16Cl 2:14). Quando Jesus estava na terra, não se apegou às prerrogativas da divindade para vencer o diabo, mas aniquilou-se a si mesmo, fazendo-se semelhante aos homens:
“Pois ele, subsistindo em forma de Deus, não julgou como usurpação o ser igual a Deus; antes, a si mesmo se esvaziou, assumindo a forma de servo, tornando-se em semelhança de homens; e, reconhecido em figura humana, a si mesmo se humilhou, tornando-se obediente até à morte e morte de cruz.” (Fp 2:6-8)

 

Como homem, o Senhor Jesus Cristo tinha limitação em tempo e espaço e, portanto, submisso ao Pai. Eis a razão de Ele ter dito em Jo 14:28:
“[…] O Pai é maior do que eu.”