O coelhinho da ASTAROTE

easter

Feliz Astarote – mensagem subliminar

Na postagem anterior, você deve ter visto o quão detestável era o culto à AFRODITE da antiga Grécia. A equivalente à essa abominação grega nos tempos do Antigo Testamento é a ASTAROTE (1Sm 12:10), outras vezes denomidada ASTARTE, ASTEROTE, ASHTAR, ISHTAR, INANNA, INNIN OU EASTER.

 

AFRODITE (Grécia) = VÊNUS (Roma) = ISHTAR (Babilônia) = ASTAROTE (Canaã)

 

 Você deve ter visto também que o culto idólatra à essas falsas deusas baseava-se no amor, sensualidade, sexo e fertilidade.

 

Por que o coelho virou símbolo da Páscoa?

Se você prestar atenção, perceberá  que o “coelho da páscoa”, é na verdade, uma mensagem subliminar. O coelho, por ter uma rápida procriação, foi adotado como versão mais moderna de deusas da fertilidade.

 

A estratégia do Maligno:

Muitas pessoas podem pensar que um simples coelhinho simbólico não irá desviar ninguém da fé em JESUS CRISTO, porém falando claramente, muitas pessoas já estão desviadas.  O que o Maligno mais requer das pessoas é que ele seja venerado – e não se esqueça que foi este o motivo pelo qual ele foi expulso do céu. Nem por isso, o Maligno desistiu da sua ambição: ele continua seduzindo as pessoas para atrair a si mesmo uma multidão de adoradores ignorantes que só se importam com alegria mundana, e não com a santificação.

 

Páscoa é uma Festa Bíblica. Clicando neste link, você verá a explicação horripilante de uma teóloga: como “o coelho veio substituir o cordeiro”. O coelho representa a deusa pagã da fertilidade EASTER, e todos sabem que na Bíblia  o cordeiro refere-se ao Senhor JESUS CRISTO; ou seja, a teóloga explica como uma abominável deusa pagã apareceu para enganar as pessoas entrando no lugar do único e verdadeiro Deus e Salvador. Os versículos a seguir são admoestações muito importantes a observarmos, quando se trata deste tipo de assunto:

“O qual se opõe e se levanta contra tudo que se chama Deus ou é objeto de culto, a ponto de assentar-se no santuário de Deus, ostentando-se como se fosse o próprio Deus. Não vos recordais de que, ainda convosco, eu costumava dizer-vos estas coisas?” (2Ts 2:4-5)

 

“Ora, o aparecimento do iníquo é segundo a eficácia de Satanás, com todo poder, e sinais, e prodígios da mentira, e com todo engano de injustiça aos que perecem, porque não acolheram o amor da verdade para serem salvos.” (2Ts 2:9-10)

 

“Falou Samuel a toda a casa de Israel, dizendo: Se é de todo o vosso coração que voltais ao SENHOR, tirai dentre vós os deuses estranhos e os astarotes, e preparai o coração ao SENHOR, e servi a ele só, e ele vos livrará das mãos dos filisteus. Então, os filhos de Israel tiraram dentre si os baalins e os astarotes e serviram só ao SENHOR.” (1Sm 7:3-4)

 

HappyEaster

“Desejando-lhe um feliz ASTAROTE”

Coelho é coelho, assim como cordeiro é cordeiro; tanto um quanto outro, assim como os demais animais, foi o SENHOR que criou; no entanto, o que estamos tratando aqui é a respeito de simbologia mal intencionada.

 

 

Mensagem subliminar

Se você acha que eu estou exagerando, perceba que assim como hoje as pessoas enxergam um inocente coelhinho bonitinho que alegra as crianças, nos tempos antigos, as lindas e sensuais deusas da fertilidade alegravam os desavisados com orgias do mais baixo escalão.

 

Hoje há na mídia, uma variedade de coisas chamadas ASTAROTE que vão desde bandas musicais, jogos virtuais, e até animês.

 

Animês são desenhos animados bastante populares no Japão. Em 2007, um estúdio de animação japonês lançou o seriado “Astarotte no Omocha” (アスタロッテのおもちゃ – O brinquedo de Astarote) – um título claramente intencional. Para a maior parte da população mundial que nunca ouviu nada a respeito de ASTAROTE, talvez, o animê não passe de mais um lançamento, mas para os conhecedores desta abominação, não é mera coincidência.

O roteiro desse animê é de forte apelo à sensualidade, sexo, ocultismo e satanismo. Fico me perguntando: como num país como Japão onde poucos conhecem a história de Canaã dos tempos bíblicos, alguém foi se inspirar justamente em ASTAROTE para produzir um seriado televisivo e faz sucesso, embora de tão mau gosto? A resposta só pode ser uma:

Os produtores desse animê são profundos conhecedores do antigo culto à ASTAROTE e procuram divulgar o satanismo ao público ignorante, que está preocupado apenas com a qualidade artística do produto.  Fica claro que alguns anúncios, produtos, músicas, filmes, jogos e desenhos são produzidos com segundas intenções, sendo antes consagrados aos demônios para depois fazerem sucesso no meio dos despreocupados e trazer algum tipo de lucro para o reino das trevas.  Na versão ocidental, há algumas telenovelas, filmes, programas de domingo, Big Brother, etc. que seguem o mesmo exemplo dos cultos depravados públicos da antiguidade, tornando-se “normais” à vista da população – Repare que o anticristo sempre investiu pesado no marketing. 

 

Nos países de língua inglesa a festa bíblica de Páscoa está sendo denominada EASTER, como se vê nas figuras acima, entretanto, a própria Bíblia em inglês, jamais usou esse termo para falar da Páscoa sagrada:

“And the disciples did as Jesus appointed them; and they made ready the passover.”  (Mt 26:19)

 

 

Passover or Easter?

A palavra bíblica PÁSCOA é comumente traduzida para a língua inglesa como EASTER, no entanto, todas as versões bíblicas em inglês trazem grafadas PASSOVER, e nunca EASTER. Isso porque a palavra EASTER astarotenunca fez parte do vocabulário bíblico e não é a exata tradução da palavra hebraica. A palavra EASTER tem origem pagã, e não bíblica:

Identificada como rainha dos céus, deusa mãe, do amor, da guerra e da fertilidade, EASTER era uma divindade feminina pagã muito popular entre os cananeus que trataram de espalhar o seu culto pela região, tendo sido, inclusive, adotada por Israel com o nome de Ashtoreth. Sim, Easter, também conhecida como Ishtar, Inanna, ou Astarte é a Astarote – a abominação duramente combatida pelos profetas de Deus, porém adotada pelo povo rebelde, citada várias vezes na Bíblia Sagrada:

  • O povo israelita adotou a adoração de Astarote logo que chegou à terra de Canaã (Jz 2:13; 10:6);
  • Passou a ser uma adoração bastante comum na época dos juízes (1Sm 7:3-4; 12-10);
  • Após a morte de Saul, os filisteus levaram a armadura do rei de Israel ao templo de Astarote (1Sm 31:10);
  • Salomão aprovou o culto depravado à Astarote, por isso, foi punido severamente por Deus (1Rs 11:5; 2Rs 23:13).

Mais tarde, o profeta Jeremias também advertiu os israelitas a respeito do culto à Astarote, mas rejeitando a disciplina do SENHOR, replicaram:

“Quanto à palavra que nos anunciaste em nome do SENHOR, não te obedeceremos a ti; antes, certamente, toda a palavra que saiu da nossa boca, isto é, queimaremos incenso à Rainha dos Céus e lhe ofereceremos libações, como nós, nossos pais, nossos reis e nossos príncipes temos feito, nas cidades de Judá e nas ruas de Jerusalém; tínhamos fartura de pão, prosperávamos e não víamos mal algum. Mas, desde que cessamos de queimar incenso à Rainha dos Céus e de lhe oferecer libações, tivemos falta de tudo e fomos consumidos pela espada e pela fome.” (Jr 44:16-18)

 

O culto à Astarote acendeu a ira do SENHOR, resultando a queda de Jerusalém e cativeiro na Babilônia durante sete décadas.

É inadmissível renomear uma festa tão sagrada como a Páscoa, que comemora a saída do povo israelita do cativeiro, e a grande obra de redenção que fez o nosso Senhor Jesus Cristo, homenageando justamente uma das maiores abominações responsável pela depravação e consequentemente, o exílio de Israel. Chamar Páscoa de Easter é irônico demais!

 

Para o verdadeiro significado da Páscoa, clique: A CEIA DO SENHOR