Não durma na fé, nem na igreja!

Êutico foi um jovem da cidade de Trôade que, adormecendo durante o prolongado discurso de Paulo, caiu da janela do terceiro andar.

“Um jovem, chamado Êutico, que estava sentado numa janela, adormecendo profundamente durante o prolongado discurso de Paulo, vencido pelo sono, caiu do terceiro andar abaixo e foi levantado morto.” (At 20:9)

 

Meus irmãos, imaginem o vexame de as pessoas abrirem a Bíblia Sagrada e lerem o seu nome, não por atos corajosos de fé, mas por ter cochilado durante a pregação e despencado do alto! No caso de Êutico, só faltou uma foto do acidente para agravar o vexame.

 

Êutico é um nome grego que significa feliz ou sortudo. De fato, ele teve bastante sorte porque o Senhor deu-lhe uma nova chance para viver (cf. vers. 10-12). Mas pense bem: por que alguém se arriscaria sentando na janela do terceiro andar?

 

Êutico ilustra os irmãos que gostam de viver perigosamente na fé, que querem ficar de longe e do alto observando o que se passa dentro e fora, sem grandes compromissos com o evangelho. Longe porque, obviamente, nenhuma janela fica no centro do ambiente, e sim na parede que é limite. Na maneira popular de falar, diria que ele estava em cima do muro.
“Atende-me, ouve-me, ó SENHOR meu Deus; ilumina os meus olhos para que eu não adormeça na morte.” (Sl 13:3 versão Almeida RC Fiel)

 

Mitologia grega

Não gosto de falar de mitologia, pois é idolatria, mas já que a cena em questão ocorreu na antiga Grécia (Trôade atualmente é província Turca), talvez seja interessante sabermos o que poderia estar na mente daquele povo a que se dirigia o evangelho: Na mitologia grega, Hypnos era apresentado como daemon do sono. Daemon é traduzido como “divindade”, mas na verdade, é “demônio”, pois de daemon originou-se a palavra demônio, em Latim. O equivalente do Hypnos na mitologia romana era o Somno, daí a palavra “sono”. Assim, as expressões como “vencido pelo sono” ou “tomado pelo sono”, na mente daquele povo poderia ter sentido de “estar possuído pelos demônios”.

 “[…] O coração deste povo está endurecido, de mau grado ouviram com os ouvidos e fecharam os olhos; para não suceder que vejam com os olhos, ouçam com os ouvidos, entendam com o coração, se convertam e sejam por mim curados.” (Mt 13:15)

Ora, quem dorme na fé, mesmo que esteja acordado fisicamente, não compreenderá as Palavras. Por isso, também disse o Senhor:

“A todos os que ouvem a palavra do reino e não a compreendem, vem o maligno e arrebata o que lhes foi semeado no coração. […]” (Mt 13:19)

 

A pessoa só consegue dormir profundamente durante as Palavras quando está desinteressada, e com o coração que despreza a Deus, a pregação ou o pregador, e não quer ouvir o evangelho. Temos o exemplo de Jonas no Antigo Testamento: Ele negligenciou as palavras do SENHOR e foi repousar debaixo da sombra de uma enramada (cf. Jn 4:5).
Talvez, Êutico, por ser jovem, tenha ido ouvir a pregação de Paulo acompanhado dos seus pais, por obrigação ou educação, porém o seu coração estava longe do Senhor, por isso tenha escolhido sentar logo na janela, a que dá para o mundo, para fora da igreja. Tudo isso representa o estado do coração do homem.
“[…] O homem vê o exterior, porém o SENHOR, o coração.” (1Sm 15:7)
 
Você dorme durante o serviço? Creio que não, pois quem tem compromisso, não adormece, mesmo quando cansado. Por outro lado, alguém poderia indagar se o discurso de Paulo era chato, ou mesmo, como diz no vers. 7, prolongado demais. É verdade um certo ditado popular que diz:
“Não existe falta de tempo; e sim falta de interesse”

 

É claro que tudo isto não se trata apenas do estado de repouso físico, porém, muito mais o estado de negligência espiritual

Certamente, a igreja que dorme está com um grande problema espiritual. O que se passa no coração deste povo, e qual a sua situação na fé? Que dizer a respeito do compromisso com o SENHOR e a vontade de vencer em Cristo?

“Pelo que diz: Desperta, ó tu que dormes, levanta-te de entre os mortos, e Cristo te iluminará.” (Ef 5:14)

 

Prego há muitos anos e já vi muitos irmãos dormindo nos cultos e aprendi a diferenciar as pessoas que dormem por realmente estar cansadas (e mesmo assim se esforçaram em vir à igreja, o que é maravilhoso) das que dormem por desinteresse: No primeiro caso, assemelham-se a bebês descansando diante do Pai; e no segundo, doentes à beira da morte. Daí, voltamos mais uma vez a Hypnos, o demônio do sono – Assim descreve a Wikipedia:
“Personificação do sono, e da sonolência; mas não do cansaço no que diz respeito à fadiga.” Hypnos possuía supostos irmãos dos quais, um se chamava Tânato – o daemon da morte; Momo – do escárnio; Oizus – da miséria; Kera – dos momentos finais; e Moro – do merecimento. Segundo a mitologia, todos estes são da mesma família; portanto, trabalham juntos para a desgraça humana.

 

Afinal, o que o apóstolo pregava?

Paulo estava para partir de Trôade no dia seguinte, por isso, tinha muitas coisas importantes a falar para orientar o rebanho. Veja o que Paulo diz nos versículos seguintes:
  • “[…] Jamais deixei de vos anunciar todo o desígnio de Deus.” (vers 27);
  • “[…] Por três anos, noite e dia, não cessei de admoestar, com lágrimas, a cada um.” (vers. 31);
  • “Testificando […] o arrependimento para com Deus e a fé em nosso Senhor Jesus Cristo.” (vers. 21);
  • “Servindo ao Senhor com toda a humildade, lágrimas e provações […]” (vers. 19);
  • “[…] O ministério que recebi do Senhor Jesus para testemunhar o evangelho da graça de Deus.” (vers. 24)
“Subindo de novo, partiu o pão, e comeu e ainda lhes falou largamente até ao romper da alva. E, assim, partiu.” (vers. 11)

 

Dá para dormir assim?

Não sejam jovens aventureiros na fé; sejam adultos amadurecidos que não se deixam levar por ventos de doutrinas estranhas, para que possam se apresentar diante do Senhor JESUS com fé viva e poderosa.