Nunca ofenda a um irmão

Disse JESUS:

“Eu, porém, vos digo que todo aquele que [sem motivo] se irar contra seu irmão estará sujeito a julgamento; e quem proferir um insulto a seu irmão estará sujeito a julgamento do tribunal; e quem lhe chamar: Tolo, estará sujeito ao inferno de fogo.” (Mt 5:22)

 

Já em Mt 23:17, JESUS mesmo disse:

“Tolos e cegos! […]” (Mt 23:17 – Nova Tradução Linguagem de Hoje)

 

O apóstolo Paulo também disse:

“Seu tolo! Quando você semeia uma semente na terra, ela só brota se morrer.” (1Co 15:36 – NTLH)

Dicionário: Tolo

 

Como pode o Senhor chamar o próximo de “tolo” se Ele mesmo proibiu?

A advertência que o Senhor fez em Mt 5:22 trata da proibição do uso do termo “Tolo” por alguém que esteja irado com seu irmão, demonstrando ódio, como está claro no texto:

“[…] Aquele que [sem motivo] se irar contra seu irmão estará sujeito a julgamento; e quem proferir um insulto a seu irmão estará sujeito a julgamento do tribunal; e quem lhe chamar: Tolo, estará sujeito ao inferno de fogo”.

 

As várias traduções bíblicas usam termos como estúpido (O Livro), louco (NVI), raca (Almeida CFR), imbecil e idiota (Católica) etc. Não se pode dizer que há contradição em Mt 23:17 ou em 1Co 15:36 porque nem JESUS, nem Paulo estavam irados contra os irmãos quando usaram a palavra “tolo”.

 

É estranho assim dizer, mas deve-se observar que a proibição de ofender, não se aplica a um incrédulo, mas sim, a um irmão. Isso não significa que podemos sair ofendendo os incrédulos. Veja:

 

Biblicamente dizendo, quem é tolo?

Os tolos pensam assim: Para mim, Deus não tem importância. (Sl 14:1 – NTLH )

 

A Palavra de Deus diz que tolo é aquele que despreza Deus, ou seja, um incrédulo. Sendo assim, chamar um irmão de tolo é equivalente a chamá-lo de incrédulo. Isto traz, segundo o Senhor, graves consequências ao ofensor diante do tribunal de Cristo.

 

Os livros sapienciais de Provérbios e Eclesiastes usam repetidamente o termo “tolo” . Em todos os casos, nitidamente os tolos são incrédulos e as Palavras nos advertem a manter distância deles.

 

“Para o tolo, o cometer desordem é divertimento; mas para o homem entendido é o ter sabedoria.” (Pv 10:23);

 

“O sábio teme, e desvia-se do mal, mas o tolo se encoleriza, e dá-se por seguro.” (Pv 14:6);

 

“O tolo não tem prazer na sabedoria, mas só em que se manifeste aquilo que agrada o seu coração.” (Pv 18:2);

 

“Não fales ao ouvido do tolo, porque desprezará a sabedoria das tuas palavras.” (Pv 23:9);

 

“O açoite é para o cavalo, o freio é para o jumento, e a vara é para as costas dos tolos.” (Pv 26:3);

 

“Responde ao tolo segundo a sua estultícia, para que não seja sábio aos seus próprios olhos.” (Pv 26:5);

 

“Melhor é ouvir a repreensão do sábio, do que ouvir alguém a canção do tolo.” (Ec 7:5).

 

Sábio x Tolo

O sábio aprende por meio do ensino (Pv 10:8; 19:20), pois ouve os conselhos (Pv 12:15) e aceita com gratidão as repreensões (Pv 9:8).

O sábio é ensinável, mas o tolo faz o que quer (Pv 12:15), rejeita a disciplina (Pv 12:1) e não aprende nem mesmo com seus próprios erros (Pv 26:11).

O falar do sábio é caracterizado pelo autocontrole e pelo desejo de edificar os outros (Pv 12:18; 13:14; 15:2); o tolo é descrito como tagarela (Pv 10:8; 10:14) e insensato (Pv 15:2) naquilo que fala de uma maneira que conduz à toda sorte de dificuldades (Ec 10:12).

O sábio é tardio em irar-se (Pv 29:11), disposto a ignorar as ofensas (Pv 12:16) e a evitar conflitos (Pv 20:3); trabalha diligentemente (Pv 10:5) e prepara-se com antecedência para possíveis problemas (Pv 21:20).

O tolo não controla seu temperamento (Pv 12:16; 29:11), é iracundo e afoito (Pv 14:16), e é rápido para entrar em rixas (Pv 20:3); contudo também é preguiçoso para fazer a vontade de Deus e despreparado para a vida (Ec 4:5).