A paixão é cega

Olá, irmãos. Este assunto pode ser polêmico mas por favor, leiam até o fim e meditem. Um certo adágio popular diz: quando o homem fica apaixonado, fica cego; e é verdade. Não quero ser chato, nem perder a amizade de ninguém, tampouco quero ver a igreja se esvaziando por causa desta mensagem. Este é um assunto seríssimo, de vida (eterna) ou morte (eterna) que deve ficar sempre bem claro na nossa fé.

Esta mensagem não é para quem já está casado, e sim para os que pretendem se casar ainda.

 

Casamento sem bênção de Deus

O casamento é um momento bastante especial na vida das pessoas. Fica tudo bonito num clima de “mundo de fantasias”. No entanto, todos sabemos que a vida não é fantasia; e o casamento perante o Senhor não é uma festa a fantasia.

 

Quero que todos os casamentos sejam abençoados, porém, é necessário sabermos que nem sempre o Senhor abençoa o que queremos que seja abençoado. Isto porque, quando a questão é o ser humano, as pessoas tendem a deturpar as Palavras de Deus, a igreja e, o mais grave, o próprio SENHOR para satisfação própria. Lamentável!

 

É um erro pensar que o Senhor sempre abençoa o casamento. Ao conferir a Bíblia, vemos não poucos casos em que o Senhor amaldiçoou os apaixonados.  Esse é um questionamento complicado e até certo ponto polêmico.

 

Para se casar, não basta estar apaixonado

O Senhor JESUS ensinou que nenhum homem tem autoridade para separar um casal unido por Deus (cf. Mc 10:9). Maravilhoso, não é? Agora, pensemos ao contrário: E se Deus não aprova a união, com que autoridade um pastor, ou um juiz pode unir as pessoas? Ou se Deus não abençoou, como poderá o homem abençoar? Veja que esta é uma questão seríssima!

Por isso, eu, como pastor, reservo o direito de recusar alguns pedidos de casamentos na igreja. A Bíblia nos ensina:

“A ninguém imponhas precipitadamente as mãos. Não te tornes cúmplice de pecados de outrem. Conserva-te a ti mesmo puro.” (1Tm 5:22)

Clique aqui e veja referências bíblicas

 

Na crença popular, o SENHOR é um Deus “bonzinho”, que aceita tudo, desde que seja feita com boa intenção. Esse tipo de pensamento irresponsável, sem compromisso com Deus, é uma das causas de muitas deturpações das Escrituras Sagradas para satisfação própria e um enorme pretexto para a “busca de felicidade” a qualquer preço.

Leia: JESUS Cristo é Deus bondoso ou cheio de ira?

 

Observe a passagem de 2Sm 12 que fala do casamento de Davi com Bate-Seba:

“Agora, pois, não se apartará a espada jamais da tua casa, porquanto me desprezaste, e tomaste a mulher de Urias, o heteu, para ser tua mulher. Assim diz o Senhor: Eis que suscitarei da tua própria casa o mal sobre ti, e tomarei tuas mulheres à tua própria vista, e as darei a teu próximo, o qual se deitará com elas, em plena luz deste sol. Porque tu o fizeste em oculto, mas eu farei isto perante todo o Israel e perante o sol. Então disse Davi a Natã: Pequei contra o Senhor. Disse Natã a Davi: Também o SENHOR te perdoou o teu pecado; não morrerás. Mas, posto que com isto deste motivo a que blasfemassem os inimigos do SENHOR, também o filho que te nasceu morrerá.” (2Sm 12:10-14)

 

Davi desprezou o SENHOR. Não há como um casamento ser abençoado nessas circunstâncias. A situação que Davi havia articulado, causou-lhe sérias consequências. Davi pagou o alto preço por um casamento que não foi abençoado por Deus.

 

Alguns casamentos não abençoados registrados na Bíblia:

 

Como ter um casamento abençoado por Deus?

A maior preocupação de Abraão com respeito ao casamento do seu filho Isaque não foi a com a casa nova para o seu herdeiro, nem com despesas de festa, convidados ou enfeites. Veja o que diz em Gênesis:

“Para que eu te faça jurar pelo SENHOR, Deus do céu e da terra, que não tomarás esposa para meu filho das filhas dos cananeus, entre os quais habito.” (Gn 24:3)

 

“Respondeu-lhe Abraão: Cautela! Não faças voltar para lá meu filho.” (Gn 24:6)

 

Voltar para onde? Para a terra de onde o SENHOR tirou Abraão, onde havia idolatria. Sim, nós que fomos chamados pelo SENHOR para a salvação eterna não podemos voltar ao nosso passado idólatra. Abraão sabia que o casamento do seu filho com uma incrédula poderia por a perder não só as bênçãos que ele havia recebido, mas também, as que o SENHOR havia lhe prometido. Por outro lado, não podemos nos ceder aos descrentes e incrédulos que habitam ao nosso redor. Essa é a preocupação que todos devemos ter.

 

Conselho

Mas, buscai primeiro o reino de Deus, e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas.  (Mt 6:33)

 

Pregue o evangelho da salvação a todos, começando pelas pessoas que você mais ama. Não deixe o tempo passar, nem perca as oportunidades para anunciar as boas novas do Senhor. A igreja está disponível para lhe auxiliar na conversão de almas preciosas. Com temor e oração séria perante o SENHOR, certamente ELE lhe dará sabedoria para falar da preciosidade do Evangelho. Comece certo um relacionamento, porque o que começa errado, fica difícil de consertar.

Clique e veja: Jugo desigual

Lembre-se do que disse Josué:

“Agora, pois, temei ao SENHOR e servi-o com integridade e com fidelidade […]. Eu e a minha casa serviremos ao SENHOR.” (Js 24:14-15) 

 

Não há como construir uma vida abençoada sem Deus

Primeiramente, repare que na igreja o SENHOR tem abençoado todos os casais de namorados, noivos e famílias que servem juntos ao SENHOR, e isto é nítido.

 

Para que o casamento seja abençoado por Deus tem que estar dentro do Seu propósito, segundo as Suas Leis. É impossível prosperar sem fazer a vontade de Deus. O casal deve estar em sintonia de propósitos em prol do Reino de Deus. É interessante pensarmos nisso ao basearmos em Gn 2:18, onde o SENHOR afirma que a mulher será a auxiliadora idônea. Ao observarmos esse versículo, devemos entender que os cônjuges se auxiliam mutuamente no desempenho das obras de Deus, no cuidado para com a igreja, com a família, na criação dos filhos, ou seja, em tudo para a glória do SENHOR.

“[…] Não farás aliança, nem terás piedade delas; nem contrairás matrimônio com os filhos dessas nações; não darás tuas filhas a seus filhos, nem tomarás suas filhas para teus filhos” (Dt 7:2-3)

 

Salomão, esquecendo-se destas palavras (será mesmo que se esqueceu, ou desafiou a Palavra de Deus?) casou-se com mulheres pagãs (cf. 1Rs 11:1-2) e o resultado não pode ser outro, senão ruína. Por quê? Por que Deus amaldiçoou? Não. O SENHOR apenas queria poupar Salomão de várias armadilhas, porém, Salomão, como muitas pessoas hoje, achou que Deus faria uma exceção a ele. Foi um grave engano! Não é possível viver de modo ecumênico.

 Leia: Ecumenismo

 

Talvez Salomão e outros que se aventuraram neste caminho tão perigoso tenham pensado em trazer os seus cônjuges pouco a pouco e devagarinho para a presença de Deus, mas na prática, pouco a pouco e devagarinho os filhos de Deus é que vão se perdendo no mundo. Na época do namoro, tudo é maravilhoso e tolerável, porém depois do casamento, a vida requer muito de ambas partes; e a longo prazo, qualquer diferença certamente trará grandes atritos.

 

O caso de Sansão é outro: ignorando a severa advertência dos pais, Sansão se casou com mulher errada e resultou em outra tragédia. Ah! A paixão é cega!!!

 

Havia uma pessoa na igreja que aconselhava os jovens dizendo: Namorado (a), você pode arrumar outro (a), porém Deus é um só! Infelizmente, essa pessoa também se desviou do Caminho quando se apaixonou.

 

Muitas famílias são destruídas e ministérios interrompidos porque as pessoas não querem aprender na Bíblia como honrar a Deus através do seu casamento. Não pense que é possível construir uma família abençoada com cada um na sua religião. Se a pessoa não serve a Deus, não serve para você.

“Venho sem demora. Conserva o que tens, para que ninguém tome a tua coroa. (Ap 3:13)

 

Amados irmãos apaixonados: Cabe a vocês se esforçarem para converterem ao SENHOR os seus futuros cônjuges para verdadeiramente receberem a bênção divina. Conduzam seus noivos ou namorados à igreja; apresentem-os ao SENHOR; instrua-os a receberem o batismo da água e do Espírito (Jo 3:5) para que sejam salvos. O dia do SENHOR está próximo. Se a pessoa por quem você está apaixonado não quer compromisso com o SENHOR, isso significa que não quer compromisso sério com a salvação da sua futura família. Você quer correr o risco de perder a sua bênção e talvez até a sua salvação? Isto será uma grande cilada espiritual.

 

Há muitos irmãos que se casaram e constituíram as suas famílias na época em que não conheciam o evangelho, e até hoje sofrem por verem a família desunida perante o SENHOR. Se você ainda é solteiro, não busque problemas com as próprias mãos. Seja responsável. Não confunda o “entregar tudo nas mãos do SENHOR” com “depois vou ver o que eu faço”. Pense nisso!

Pois fariam desviar teus filhos de mim, para que servissem a outros deuses; e a ira do Senhor se acenderia contra vós, e depressa vos consumiria. (Dt 7:4)

 

Esta preocupação é do SENHOR que nos ama. Se o próprio SENHOR Deus diz assim, é porque o perigo da apostasia é grande e real.