“Não tomarás o nome do SENHOR, teu Deus em vão” (Êx 20:7)

Existem certas frases populares que, se nos descuidarmos, logo estaremos embarcando. Uma dessas frases é: “Se Deus quiser… e Ele quer!”

 

Espere um pouco! Vamos abrir a Bíblia Sagrada e verificar o que ela nos ensina:

“Atendei, agora, vós que dizeis: Hoje ou amanhã, iremos para a cidade tal, e lá passaremos um ano, e negociaremos, e teremos lucros. Vós não sabeis o que sucederá amanhã. Que é a vossa vida? Sois, apenas, como neblina que aparece por instante e logo se dissipa. Em vez disso, devíeis dizer: Se o Senhor quiser, não só viveremos, como também faremos isto ou aquilo. Agora, entretanto, vos jactais das vossas arrogantes pretensões. Toda jactância semelhante a essa é maligna.”
(Tg 4:13-16)
 
Jactância: orgulho, ostentação, vanglória, vaidade, soberba

 

Não podemos dizer que o SENHOR disse o que ELE não disse

Aprendemos na Epístola de Tiago que devemos dizer “se o Senhor quiser…” em vez de “eu irei, ou farei isto ou aquilo”. Acrescentar “… e Ele quer” é totalmente antibíblico e contradiz totalmente o ensino, porque ninguém pode dizer pelo Senhor se ele quer ou não, por mais óbvio que pareça a resposta. Quando alguém acrescenta esta frase inexistente, está expondo a própria vontade, e não a do Senhor, anulando imediatamente a humildade que o apóstolo Tiago nos ensinou. Em outras palavras, quero dizer que “se o Senhor quiser” não combina com “e Ele quer!”.

 

Portanto, não devemos:
  • dizer que Deus disse o que Ele não disse;
  • confundir a nossa vontade com a do SENHOR, por melhor que seja a intenção;
  • nos escondermos atrás do nome de Deus;
  • usar o nome de Deus para se justificar;
  • semear dúvidas a respeito da identidade de Deus.