“Não tentarás o SENHOR, teu Deus” (Dt 6:16)

Segundo o Novo Dicionário da Bíblia – Edições Vida Nova, a ideia bíblica de tentação não é primariamente a de sedução, conforme a ideia moderna, mas é a de pôr uma pessoa em prova, de sujeitá-la a um teste, o que pode ser feito com o propósito benevolente de provar ou melhorar a sua qualidade, ou então com o propósito malicioso de mostrar sua fraqueza ou levá-lo a cair na armadilha de fazer uma má ação. ‘Tentar’, pois, significa ‘testar’, nesse sentido irrestrito. Somente mais recentemente é que a palavra tem sido limitada em seu sentido a testar com má intenção.

 

Neste conceito, tentação tem dois sentidos opostos:

  1.  no sentido de provar, testar e experimentar para o bom propósito: provar roupas; testar o motor; fazer aula experimental. Exemplo bíblico: 1Tm 3:10.
  2.  no sentido malicioso; de caráter rebelde tipicamente diabólico, como estudaremos adiante.

A tentação é naturalmente humana (cf. 1Co 10:13). Todo homem está sujeito a tentação, por isso é preciso estar sempre atento:

Aquele, pois, que pensa estar em pé veja que não caia.” (1Co 10:12)

 

Massá e Meribá

“Não tentarás o SENHOR, teu Deus, como o tentaste em Massá” (Dt 6:16)

 

“E chamou o nome daquele lugar Massá e Meribá*, por causa da contenda dos filhos de Israel e porque tentaram ao SENHOR, dizendo: Está o SENHOR no meio de nós ou não?” (Êx 17:7)

 

“Não endureçais o coração, como em Meribá, como no dia de Massá, no deserto.” (Sl 95:8)

 

É interessante citar que os antigos nomearam o local da tragédia ocorrida no deserto em ‘Massâ’, que significa ‘tentação’. Derivado deste substantivo, temos o verbo hebraico ‘mãsâ’ que significa ‘tentar’.

*Meribá: Hebraico ‘merïbhâ’ – contenda, discussão.

 

Tentar a Deus: um grave pecado

“Contendeu, pois, o povo com Moisés e disse: Dá-nos água para beber. Respondeu-lhes Moisés e disse: Por que contendeis comigo? Por que tentais ao SENHOR?” (Êx 17:2)

 

“Tentaram a Deus no seu coração, pedindo alimento que lhes fosse do gosto. Falaram contra Deus, dizendo: Pode, acaso, Deus preparar-nos mesa no deserto? Com efeito, feriu ele a rocha, e dela manaram águas, transbordaram caudais. Pode ele dar-nos pão também? Ou fornecer carne para o seu povo? Ouvindo isto, o SENHOR ficou indignado; acendeu-se fogo contra Jacó, e também se levantou o seu furor contra Israel; porque não creram em Deus, nem confiaram na sua salvação.” (Sl 78:18-22)

 

Os homens duvidam de Deus mediante um comportamento que de fato constitui um desafio rebelde para que Ele prove a verdade de Suas palavas e a bondade e justiça de Seus caminhos. A palavra ‘Massâ’ foi usada como memorial permanente da tentação contra o SENHOR no deserto. Tentar a Deus é uma irreverência extrema, e certamente, uma grande profanação estritamente proibida pelo SENHOR. Quando nos encontrarmos em aflições, devemos esperar Nele confiadamente, com paciência, certos de que no tempo certo ELE suprirá a nossa necessidade segundo a Sua promessa (cf. Sl 37).

“Aguardo o SENHOR, a minha alma o aguarda; eu espero na sua palavra.” (Sl 130:5)

 

O SENHOR Deus respondeu ao povo que O provou no deserto com as seguintes palavras:

“Nenhum dos homens que, tendo visto a minha glória e os prodígios que fiz no Egito e no deserto, todavia, me puseram à prova já dez vezes e não obedeceram à minha voz, nenhum deles verá a terra que, com juramento, prometi a seus pais, sim, nenhum daqueles que me desprezaram a verá.” (Nm 14:22-23)

Veja também: Sl 78; Sl 95; Sl 106.

 

Observe nos versículos abaixo que os céticos inimigos do nosso Senhor maliciosamente tentavam-No para verem se Sua doutrina era defeituosa para O experimentarem:

    • “Jesus, porém, conhecendo-lhes a malícia, respondeu: Por que me experimentais, hipócritas?” (Mt 22:18 – A questão do tributo)
    • “Vieram a ele alguns fariseus e o experimentavam, perguntando […]” (Mt 19:3 – A questão do divórcio);
    • “E diziam eles tentando-o, para terem de que o acusar. […]” (Jo 8:6 – A mulher adúltera);
    • “E eis que certo homem, intérprete da Lei, se levantou com o intuito de pôr Jesus à prova e disse-lhe […]” (Lc 10:25 – O bom samaritano).

 

JESUS Cristo é Deus que se manifestou em carne

Tentação

Monte da Tentação, Jericó

Este assunto também foi descrito por Marcos (1:12-13) e Lucas (4:1-13), com mais, ou menos riqueza de detalhes na narração.

“Respondeu-lhe Jesus: Também está escrito: Não tentarás o Senhor, teu Deus” (Mt 4:7 – A tentação de JESUS)

 

Ao perguntarmos a quem o Satanás estava tentando naquele momento, a resposta não pode ser outra, senão JESUS Cristo. No entanto, JESUS disse a Satanás que não deveria tentar a Deus, indicando claramente ser JESUS, o próprio Deus.

 

Ao compararmos algumas traduções bíblicas, também podemos ver com clareza que o SENHOR Deus Eterno que falou com os profetas do A.T. ninguém é, senão o próprio Senhor JESUS Cristo. Por exemplo, compare as traduções de 1Co 10:9:

  • “E não ponhamos o Senhor à prova, como alguns deles o fizeram, e pereceram pelas mordeduras das serpentes. “ (JFA- Revista e Atualizada)
  • “E não tentemos a Cristo, como alguns deles também tentaram, e pereceram pelas serpentes.” (JFA – Corrigida e Revisada Fiel)

 

Outro exemplo, podemos observar no caso de Ananias e Safira. Pedro disse: “Por que entrastes em acordo para tentar o Espírito do Senhor? […]” (At 5:9) – porém, antes Pedro havia dito: Não mentiste aos homens, mas a Deus” (At 5:4), mostrando que o Espírito Santo é Deus.

 

Portanto, meus irmãos, jamais cometam este grave pecado contra o SENHOR Deus, antes esperem em Cristo JESUS, porque a respeito Dele, mais uma vez, a Bíblia declara:

“Pois, naquilo que ele mesmo sofreu, tendo sido tentado, é poderoso para socorrer os que são tentados.” (Hb 2:18)

Amém!