Mistério da Ressurreição

“Eis que vos digo um mistério: nem todos dormiremos, mas transformados seremos todos, num momento, num abrir e fechar de olhos, ao ressoar da última trombeta. A trombeta soará, os mortos ressuscitarão incorruptíveis, e nós seremos transformados.” (1Co 15:51-52)

 

A ressurreição é uma promessa maravilhosa! Quando os anjos de Deus começarem a tocar a última trombeta e o nosso Senhor Jesus Cristo descer dos céus, os mortos em Cristo ressuscitarão e, depois, os que estiverem vivos serão transformados em corpos incorruptíveis! Aleluia! Leia: 1Ts 4:16-17.

 

“Em verdade, em verdade vos digo que vem a hora e já chegou, em que os mortos ouvirão a voz do Filho de Deus; e os que a ouvirem viverão.” (Jo 5:25)

 

“Não vos maravilheis disto, porque vem a hora em que todos os que se acham nos túmulos ouvirão a sua voz e sairão.” (Jo 5:28)

 

Estamos tão acostumados com os padrões da Terra que muitas vezes nos esquecemos de que há outros padrões no universo. Por exemplo: o tempo. O tempo de 60 minutos, de 24 horas, de 30 dias e de 365 dias é um padrão terráqueo. O nosso planeta vizinho, Vênus, gira em torno de si no sentido contrário ao da Terra; isso significa que lá o Sol nasce no lado oeste e se põe no leste. E, ainda, o planeta demora mais para dar uma volta completa em torno de si mesmo do que para dar uma volta em torno do Sol, ou seja, um dia em Vênus é mais longo que um ano. Dá para entender isso?

 

Assim também são as palavras de Deus. A terra é apenas o estrado dos pés do Senhor (cf. Is 66:1). Não podemos querer entender as suas palavras com os nossos padrões.

“Porque os meus pensamentos não são os vossos pensamentos, nem os vossos caminhos, os meus caminhos, diz o SENHOR, porque, assim como os céus são mais altos do que a terra, assim são os meus caminhos mais altos do que os vossos caminhos, e os meus pensamentos, mais altos do que os vossos pensamentos.” (Is 55:8-9)

 

Os homens do mundo sabem que um dia morrerão, e estão conformados com isso, mas nem sempre foi assim. No livro de Gênesis, Capítulo 2, Versículo 17, o Senhor Deus fala que punirá com a morte aquele que transgredir a sua lei. Naquela época a morte não existia, tanto é que Adão, o primeiro homem, passou dos 900 anos de vida e, se não tivesse cometido pecado, estaria vivo até hoje.

 

O homem foi feito à semelhança de Deus. O Senhor é imortal, então o homem também foi feito para ser imortal, mas esse padrão mudou com a entrada do pecado na vida do ser humano. Por isso a Bíblia afirma:

“E, assim como aos homens está ordenado morrerem uma só vez, vindo, depois disto, o juízo” (Hb 9:27).

 

No capítulo 15 da Primeira Epístola aos Coríntios, Paulo, cheio de sabedoria que lhe foi dada, fala a respeito da ressurreição:

“Porque, assim como, em Adão, todos morrem, assim também todos serão vivificados em Cristo” (Vs. 22), e

 

“Porque, se os mortos não ressuscitam, também Cristo não ressuscitou. E, se Cristo não ressuscitou, é vã a vossa fé, e ainda permaneceis nos vossos pecados” (Vs. 16-17).

 

A base do cristianismo é a morte e a ressurreição de Cristo, o nosso Senhor. Portanto, a nossa fé não é vã. Logo nos encontraremos com Jesus. Amém!

 

 

O corpo incorruptível

Então, como os mortos ressuscitarão? No dia da glória do Senhor, aqueles que descansam em Cristo ressuscitarão com cicatrizes ou algum tipo de defeito ou deformação? E, ainda, como ressuscitarão aqueles que tiveram os seus órgãos doados para transplantes?

 

“Insensato!” (1Co 15:36), é o que diz a Palavra do Senhor. Essas são preocupações dos carnais e terrenos. O Senhor é perfeito e faz todas as coisas da maneira que melhor lhe parecer, e isso é maravilhoso! Foi necessário o Senhor Jesus ressuscitar com cicatrizes de perfurações para que o mundo incrédulo entendesse que era ele mesmo, e não outro, mas isso não é regra para o rebanho do Senhor.

“Porque é necessário que este corpo corruptível se revista da incorruptibilidade, e que o corpo mortal se revista da imortalidade” (1Co 15:53)

 

O nosso corpo é sujeito a fadigas, doenças, velhice… mas quando este corpo corruptível se revestir de imortalidade, cumprir-se-á mais uma profecia do Senhor. Aleluia!

 

Na época dos discípulos havia um grupo de religiosos denominado saduceus. Como eles não acreditavam na ressurreição dos mortos, vieram questionar o Senhor Jesus. Então, Ele respondeu que a vida na eternidade é diferente da vida aqui, lá seremos como os anjos no céu (cf. Mt 22:23-33).

 

A ressurreição dos mortos não é um assunto questionado pelos cristãos, já que se trata de fé e esperança. Porém, como envolve sentimentos, alguns acabam criando fantasias em suas mentes. Mas não deve ser assim. A ressurreição é uma grande promessa, graça, bênção e realidade para todos que amam o Senhor e a sua vinda.

Leia “A visão de um vale de ossos secos” (Ez 37:1-14).

 

“[…] Então, sabereis que eu, o SENHOR, disse isto e o fiz, diz o SENHOR.” (Ez 37:14)

 

“Se habita em vós o Espírito daquele que ressuscitou a Jesus dentre os mortos, esse mesmo que ressuscitou a Cristo Jesus dentre os mortos vivificará também o vosso corpo mortal, por meio do seu Espírito, que em vós habita.” (Rm 8:11)

 

E, para ninguém mais duvidar, o próprio Senhor Jesus foi as primícias dos que dormem (1Co 15:20), e foi visto por mais de quinhentos irmãos de uma só vez (1Co 15:6). Esteve morto, mas está vivo pelos séculos dos séculos (Ap 1:18). Por isso, não temas! (Ap 1:17).

 

 

Ao ressoar da última trombeta

Que trombeta é essa? É aquela mencionada em 1Tessalonicenses 4:16-17:

“[…] e ressoada a trombeta de Deus, descerá dos céus, e os mortos em Cristo ressuscitarão primeiro; depois, nós, os vivos, os que ficarmos, seremos arrebatados juntamente com eles, entre nuvens, para o encontro do Senhor nos ares, e, assim, estaremos para sempre com o Senhor.”

Confira as seguintes palavras:

  1. “[…] nem todos dormiremos, mas transformados seremos todos” (1Co 15:51);
  2. “[…] e nós seremos transformados” (1Co 15:52);
  3. “Depois, nós, os vivos, os que ficarmos, seremos arrebatados juntamente com eles [com os ressuscitados] […]” (1Ts 4:17).

Repare que o apóstolo Paulo disse essas palavras com a esperança de que o fim viesse ainda nos seus dias, e assim, ele pudesse ver o nosso Senhor descendo dos céus numa nuvem com os seus anjos ao som de trombetas. E nós? Não temos maiores chances de estarmos vivos nesse dia do que os antigos? É claro que sim! Em Romanos, Cp. 13, Vs. 11, há a confirmação disso!

 

Não pense na vinda do Senhor Jesus como um acontecimento longínquo, e sim iminente. Estejamos vigiando, pois ninguém sabe o dia nem a hora em que o Senhor virá. Confira Ezequiel, Cp. 7.

 

No último livro da Bíblia, Apocalipse, são citadas sete trombetas que soarão com um determinado intervalo de tempo entre elas. Cada vez que um anjo do Senhor tocar uma trombeta, acontecerão coisas espantosas na terra. A sétima e última trombeta é mencionada em Apocalipse 11:15-19, quando o mundo todo e os seus reinos se tornarão do Senhor. E essas palavras conferem com as profecias de Daniel, Cp. 7, Vs. 14 e 27; e também:

“[…] e haverá tempo de angústia, qual nunca houve […]. Muitos dos que dormem no pó da terra ressuscitarão, uns para a vida eterna, e outros para vergonha e horror eterno” (Dn 12:1-2)

 

 

Os restantes dos mortos

Na Bíblia está escrito que há dois tipos de ressurreição: a PRIMEIRA e a SEGUNDA (Ap 20:5-6). A primeira, é para aqueles que tiverem feito o que é reto diante de Deus, também é chamada de RESSURREIÇÃO PARA A VIDA, e a segunda, é para aqueles que tiverem praticado o mal, RESSURREIÇÃO DO JUÍZO (Jo 5:29). Ao ressoar da última trombeta, os mortos em Cristo ressuscitarão; porém, a vez daqueles que morreram fora do Caminho Santo será apenas ao findar dos mil anos de reinado do Senhor Jesus aqui na terra. A respeito destes, está profetizado:

  1. “[…] para vergonha e horror eterno” (Dn 12:2);
  2. “[…] e eles serão um horror para toda a carne” (Is 66:24);
  3. “[…] para o inferno, para o fogo inextinguível (onde não lhes morre o verme, nem o fogo se apaga)” (Mc 9:43-44);
  4. “[…] esse foi lançado para dentro do lago de fogo” (Ap 20:15);
  5. “[…] e serão atormentados de dia e de noite, pelos séculos dos séculos” (Ap 20:10).

Por isso, está escrito:

“Bem-aventurado e santo é aquele que tem parte na primeira ressurreição; sobre esses a segunda morte não tem autoridade; pelo contrário, serão sacerdotes de Deus e de Cristo e reinarão com ele os mil anos” (Ap 20:6)