Mistério da Iniquidade

falso cordeiro“Com efeito, o mistério da iniquidade já opera e aguarda somente que seja afastado aquele que agora o detém; então, será, de fato, revelado o iníquo, a quem o Senhor Jesus matará com o sopro de sua boca e o destruirá pela manifestação de sua vinda.” (2Ts 2:7-8)

 

Todos quantos amam o Senhor Jesus e a sua vinda (cf. 2Tm 4:8) precisam estar cientes deste mistério, a saber, quando o grande Dia do Senhor se aproximar, Satanás agirá insistentemente no mundo para arrastar com a sua cauda, se possível até os eleitos, para a ruína eterna, porque ele sabe que já está condenado e não quer cair no lago de fogo sozinho. Para isso, o iníquo usará de todas as artimanhas, como nos alerta a palavra de Deus:

” Ora, o aparecimento do iníquo é segundo a eficácia de Satanás, com todo poder, e sinais, e prodígios da mentira, e com todo engano de injustiça aos que perecem, porque não acolheram o amor da verdade para serem salvos.” (2 Ts 2:9~10)

 

O Senhor nos alerta a respeito dos falsos profetas que são lobos roubadores disfarçados de ovelhas (Mt 7:15). Em 1Pe 5:8, Pedro compara o Diabo a um leão que ruge procurando alguém para devorar; lembre-se de que os leões não comem espírito, e sim carne; e quem vive na carne torna-se uma presa fácil do inimigo, mas aquele que vive no Espírito vive para a glória de Deus.

 

Ao atentarmos ao conteúdo da Segunda Epístola aos Tessalonicenses, observamos a importância de todo cristão permanecer na fé com integridade e fidelidade:

“[…] não vos demovais da vossa mente, com facilidade, nem vos perturbeis […]” (2:2);
“Ninguém, de nenhum modo, vos engane […]” (2:3);
“Não vos recordais de que, ainda convosco, eu costumava dizer-vos estas coisas?” (2:5);
“Assim, pois, irmãos, permanecei firmes […]” (2:15);
“[…] vos aparteis de todo irmão que ande desordenadamente […]” (3:6).

 

Cuidado, cuidado, cuidado! Esta é a mensagem da Epístola. E quando a Palavra nos diz para tomarmos cuidado, é porque o perigo é real e iminente. A Bíblia também nos adverte de que primeiro virá a apostasia (renúncia ou abandono da fé) e, depois, o iníquo aparecerá (cf. Mt 24:10-13).

Certamente, a apostasia é um perigo contínuo para a igreja, e o Novo Testamento contém repetidas advertências:

• 1 Tm 4:1 – “[…] alguns apostatarão da fé, por obedecerem a espíritos enganadores e a ensino de demônios”

• 1 Ts 2:3 – “Pois a nossa exortação não procede de engano […]”

• Hb 3:12 – “Tende cuidado, irmãos, jamais aconteça haver em qualquer de vós perverso coração de incredulidade que vos afaste do Deus vivo.”

• 2 Pe 3:17 – “[…] acautelai-vos; não suceda que, arrastados pelo erro desses insubordinados, descaias da vossa própria firmeza”

 

A natureza da apostasia é clara: fazer um cristão descair da fé (1Tm 4:1) e desviar-se do Deus Vivo (Hb 3:12). Ela ganha força especialmente quando o crente passa por tribulações (Lc 8:13; Mt 24:9-10) e é encorajada por falsos profetas (Mt 24:11; Gl 2:4), que seduzem os crentes para “um outro evangelho”, que é um evangelho falso (Gl 1:6-8; 2Tm 4:3-4; 2Pe 2:1-3). A impossibilidade de restauração dos apóstatas está frisada em Hb 6:4-6. Por isso:

“Aquele, pois, que pensa estar em pé veja que não caia.” (1Co 10:12)

 

 

A vinda do Senhor Jesus

“[…] Esse Jesus que dentre vós foi assunto ao céu virá do modo como o vistes subir.” (At 1:11)

 

Em todo o Novo Testamento está claro que, quando a volta do Senhor Jesus Cristo estiver próxima, veremos muitos sinais, no céu e na terra. Dentre eles está o aparecimento de falsos profetas e mestres. O Senhor Jesus disse:

“Aprendei, pois, a parábola da figueira: quando já os seus ramos se renovam e as folhas brotam, sabeis que está próximo o verão. Assim também vós: quando virdes todas estas coisas, sabei que está próximo, às portas.” (Mt 24:32-33)

 

Não é difícil entender o que disse o Senhor nessa mensagem, pois ela é bem clara. O irmão que lê um versículo bíblico deve sempre se lembrar de outros versículos e procurar ver se há alguma ligação entre eles. Veja, por exemplo, Oséias 9:10, em que Israel é comparado à figueira; ou Jeremias 24:3-7, em que é comparado a figos. Na verdade, o Senhor Jesus nos revelou que quando a nação israelense começar a renovar os seus ramos (lembre-se da prosperidade dessa nação no pós-Segunda Guerra), devemos saber que o fim está próximo. Estamos realmente próximos do glorioso dia em que os crentes do mundo todo serão arrebatados para os céus, e os acontecimentos dos últimos tempos comprovam a autenticidade das palavras do Senhor.

“Alegremo-nos, exultemos e demos-lhe a glória, porque são chegadas as bodas do Cordeiro, cuja esposa a si mesma já se ataviou” (Ap 19:7)

 

 

Os sinais do anticristo

A expressão “anticristo” é encontrada apenas nas epístolas de João (1Jo 2:18, 2:22, 4:3; 2Jo 7). Como a própria palavra diz, trata-se de uma força do mal que se opõe e resiste ao Senhor Jesus e aos seus santos ensinamentos.

 

O anticristo pode ser uma ou várias ferramentas usadas por Satanás para fazer grande oposição a Cristo, principalmente nos tempos que antecedem o fim, e isso está bastante claro no livro de Apocalipse. O profeta Daniel também citou o aparecimento dessa força do mal (Dn 7:21-25). O Senhor Jesus Cristo é o próprio Deus, que se fez carne (cf. Jo 1:1 e 14) e veio para salvar o mundo. Quando alguém nega isso, torna-se culpado não só de erro doutrinário, mas também de estar encobrindo o alicerce da fé cristã; assim, está trabalhando, conscientemente ou não (em ambos os casos, agindo no engano), em prol do opositor.

 

Preste atenção nas palavras de 2Ts 2:7-12:

“Com efeito, o mistério da iniquidade já opera e aguarda somente que seja afastado aquele que agora o detém.” – Quem está resistindo à iniquidade? É o Espírito Santo com a sua verdadeira igreja (cf. Ap 7:1-3);
“Então será, de fato, revelado o iníquo, a quem o Senhor Jesus matará com o sopro de sua boca e o destruirá pela manifestação de sua vinda.” – Em Apocalipse, capítulo 13, está escrito a respeito da revelação desse iníquo;
“O aparecimento do iníquo, é segundo a eficácia de Satanás, com todo o poder, e sinais, e prodígios da mentira” – O inimigo se levantará e usará todas as artimanhas que estiverem ao seu alcance para arrastar os homens para a perdição (cf. Ap 12:4 e 20:10);
“E com todo engano de injustiça aos que perecem, porque não acolheram o amor da verdade para serem salvos.” – Existem neste mundo, muitos pontos de vista pessoais, puramente humanos (cf. Pv 16:2), mas o verdadeiro cristão ouve a voz do Espírito Santo e lhe é fiel;
É por este motivo, pois, que Deus lhes manda a operação do erro, para darem crédito a mentira” – Essa verdade está plenamente de acordo com a parábola do joio (Mt 13:30), em que o Senhor Jesus diz para deixar o trigo e o joio crescerem juntos até o dia da colheita, quando o joio será queimado e o trigo, recolhido no celeiro. A salvação será somente para aqueles que perseverarem até o fim (cf. Mt 24:13);
“A fim de serem julgados todos quantos não deram crédito à verdade; antes, pelo contrário, deleitaram-se com a injustiça. – Na epístola de João (cf. 1Jo 4:1-6) completa essa profecia.

 

Vivemos numa época de provação, em que os justos fiéis, e os filhos da desobediência vivem lado a lado (cf. Mt 13:22). Assim sendo, o verdadeiro crente deve passar todos os obstáculos e resistir firme no dia mau e, depois de ter vencido tudo, ainda permanecer inabalável (cf. Ef 6:13).

“Eis o soberbo! Sua alma não é reta nele; mas o justo viverá pela sua fé.” (Hc 2:4)

 

Já podemos ver, à luz das Escrituras, várias manifestações do inimigo, que vem negar o Senhor Jesus e o seu poder. Por isso, a Bíblia adverte:

“Amados, não deis crédito a qualquer espírito; antes, provai os espíritos se procedem de Deus, porque muitos falsos profetas tem saído pelo mundo fora. Nisto reconheceis o Espírito de Deus: todo espírito que confessa que Jesus Cristo veio em carne é de Deus; e todo espírito que não confessa a Jesus não procede de Deus; pelo contrário, este é o espírito do anticristo, a respeito do qual tendes ouvido que vem e, presentemente, já está no mundo. Filhinhos, vós sois de Deus e tendes vencido os falsos profetas, porque maior é aquele que está em vós do que aquele que está no mundo. Eles procedem do mundo; por essa razão, falam da parte do mundo, e o mundo os ouve. Nós somos de Deus; aquele que conhece a Deus nos ouve; aquele que não é da parte de Deus não nos ouve. Nisto reconhecemos o espírito da verdade e o espírito do erro.” (1Jo 4:1-6)

 

 

O Inimigo


“[…] o grande dragão, a antiga serpente, que se chama Diabo e Satanás, o sedutor de todo o mundo […]”, assim está descrito o inimigo em Apocalipse 12:9.

 

Satanás era um querubim ungido, o sinete da perfeição, belo e sábio (Ez 28:12). Assim ele foi criado, no entanto pecou ao tentar usurpar o trono de Deus, e foi lançado fora da presença do Senhor, juntamente com todos os outros que também haviam se rebelados. Naquele momento o juízo já fora pronunciado: […] farei perecer […] (Ez 28:16). Ao cair do céu, Satanás foi ao jardim do Éden para tentar destruir a obra do Criador, trazendo, primeiramente, a desobediência e, depois, toda sorte de pecados à humanidade. Você acha que ele desistiu de usurpar o trono de Deus? Analise:
• não foi ele quem apareceu para tentar o Senhor Jesus Cristo, oferecendo o mundo em troca de adoração?
• não é ele quem ainda hoje engana muitos e muitos, disfarçado de cordeiro, sendo na verdade um lobo devorador?
• por que acontecem milagres todos os dias, até em lugares proibidos na Lei de Deus?

 

Serão realmente milagres?
• qual ou quais espíritos estariam agindo por trás desses supostos milagres? (confira 1Jo 4:1~6);
• ele é o pai da mentira (cf. Jo 8:44) e, sendo assim, sabe enganar muito bem as pessoas que não amam a verdade para serem salvos.

Para saber mais leia: Idolatria é pecado

O destino de Satanás é o lago de fogo (Ap 20:10); entretanto, antes do seu fim, ele fará muitas investidas na terra para arrastar a muitos. A luta do cristão é contra esse espírito do mal, e para isso o Senhor Jesus já nos preparou toda a armadura espiritual necessária. Saibamos manuseá-la bem, porque certamente grande é a luta (cf. Ef 6:10-20; 1Ts 5:4-11).

 

 

O tempo da Grande Tribulação

O tempo da Grande Tribulação está profetizado em Dn 12:1, e começará com o advento do Senhor e o arrebatamento da sua igreja. Quando a igreja, que é a noiva e o corpo do Senhor Jesus Cristo, subir aos céus para o encontro com o Senhor nos ares (1Ts 4:17), as pessoas que forem deixadas ficarão totalmente sob o domínio do inimigo.

Em Ap 8:10-11, está escrito que quando o terceiro anjo tocar a trombeta, uma grande estrela, chamada Absinto, cairá sobre a terra ardendo como tocha e trará grande amargura aos homens. Ora, dentre todas as estrelas que os astrônomos conseguiram localizar neste tão vasto e imenso universo, não existe nenhuma chamada Absinto, pois, na verdade, trata-se de uma alusão ao Satanás. Sim, ele é o Absinto, o amargo que cairá dos céus, assim como caiu nos tempos do Éden.

 Ao fim do prazo determinado, a igreja que estará nos céus voltará juntamente com o Senhor Jesus, e Satanás será preso no abismo por mil anos (Ap 20:1-6). Mas, terminado o milênio, na véspera do Juízo Final (Ap 20:11-15), Satanás será solto e sairá para a sua última investida, seduzindo as nações do mundo todo para uma grande batalha: “e sairá a seduzir as nações que há nos quatro cantos da terra, […] a fim de reuni-las para a peleja. O número dessas é como a areia do mar” (Ap 20:8), “[…] desceu, porém, fogo do céu e os consumiu” (Ap 20:9). O sedutor será lançado no lago de fogo e enxofre, também chamado de segunda morte, e então se completará a profecia do mistério da iniquidade: “[…] o Senhor Jesus matará com o sopro de sua boca e o destruirá pela manifestação de sua vinda” (2Ts 2:8). Amém.