Massada, nunca mais!

massada-3094503Sobre uma elevação natural de 400m, em pleno deserto judaico, cercado de desfiladeiros e com vista para o Mar Morto, está a fortaleza de Massada. Construída em 30 a.C. inicialmente como lugar de repouso do rei Herodes, tornou-se em pouco tempo, uma verdadeira fortaleza com muro de quase 1,5km de extensão e 4m de largura. “Massada” (“Fortaleza” em hebraico) tem um significado especial para o povo judeu, porque se tornou símbolo de resistência aos seus opressores.

 

No começo da década de 70 d.C.,  após terem fracassados em Jerusalém e no resto do país, os zelotes (rebeldes judeus) que lutavam contra o domínio romano refugiaram-se em Massada. Com grande estoque de alimentos e cisternas estrategicamente cavadas,  eles conseguiram resistir até 72 d.C. Naquele ano, o governador e general romano Lucius Flavius Silva ordenou um impiedoso ataque à fortaleza de Massada. Cerca de 5.000 soldados romanos foram enviados para capturar aproximadamente 960 judeus que ali estavam; muitas mulheres e crianças inclusive. O resultado da batalha foi catastrófico para os zelotes; logo as profecias contra  o povo rebelde a Deus começaram a se cumprir:

“Tornaram às maldades de seus primeiros pais, que recusaram ouvir as minhas palavras; andaram eles após outros deuses para os servir; a casa de Israel e a casa de Judá violaram a minha aliança, que eu fizera com seus pais. Portanto, assim diz o SENHOR: Eis que trarei mal sobre eles, de que não poderão escapar; clamarão a mim, porém não os ouvirei.” (Jr 11:10-11)


“Quando ia chegando, vendo a cidade, [Jesus] chorou e dizia: Ah! Se conheceras por ti mesma, ainda hoje, o que é devido à paz! Mas isto está agora oculto aos teus olhos. Pois sobre ti virão dias em que os teus inimigos te cercarão de trincheiras e, por todos os lados, te apertarão o cerco; e te arrasarão e aos teus filhos dentro de ti; não deixarão em ti pedra sobre pedra, porque não reconheceste a oportunidade da tua visitação” (profecia contra os habitantes de Jerusalém – Lc 19:41-44)
rampa-massada

Nesta imagem podemos observar vestígio da rampa construída pelos romanos para conquistar a fortaleza de Massada

 

Para os militares romanos acostumados com grandes batalhas, não havia muitas dificuldades em tomar a fortaleza de Massada, a ultima resistência judaica. Era só questão de tempo.

 

A chave para a tomada de Massada foi a construção de uma  gigantesca rampa feita de pedras e terra compactada. Foi para a época, um estupendo empreendimento que demorou quase um ano para ser concluído. Os judeus, por sua vez trataram de construir um segundo muro com pesadas vigas de madeira, visto que a função do primeiro muro em breve seria neutralizada.

 

Finalmente na primavera de 73 d.C. um grande aríete foi levado ao alto da rampa para golpear o primeiro muro e este não conseguiu resistir; logo abriu-se uma brecha no muro, porém ainda os soldados romanos tinham o muro de vigas de madeira, indiferente a golpes de aríete, para vencer; mas isso não foi problema: Lucius Flavius ordenou atear fogo.

 

Durante toda a noite, os romanos esperaram o fogo consumir o segundo muro, para então, na manhã seguinte invadir a fortaleza; porém, no lado de dentro, o líder dos judeus convocou todos para uma reunião e, então decidiram morrer para não cair nas mãos dos romanos. Tirando sortes, selecionaram dez entre eles para matar os demais, e um dos dez para matar os outros. Feito isso, o último homem vivo em Massada se mataria, em vez de sujeitar-se a Roma. Pela manhã os romanos entraram na fortaleza e encontraram apenas cadáveres. Duas mulheres e cinco crianças, que tinham se escondido numa cisterna, sobreviveram e foi assim que a história se tornou conhecida a todos.


“Jerusalém, Jerusalém, que matas os profetas e apedrejas os que te foram enviados! Quantas vezes quis eu reunir teus filhos como a galinha ajunta os do seu próprio ninho debaixo das asas, e vós não o quisestes!” (Lc 13:34)
 
“Eis que a vossa casa vos ficará deserta. […]” (Lc 13:35)

masada-1

Força Aérea Israelense sobrevoando Massada

A trágica derrota em Massada nos mostra o quão amargo é o destino do homem que recusando o amor do SENHOR passa a depositar, inutilmente, a sua confiança em coisas vãs. Muitas vezes o homem, na sua aflição busca ao SENHOR; mas quando adquire bênçãos, começa dar glória a si mesmo. Este é um grande erro que jamais devemos cometer. 

Muitas vezes amargamos em trágicas derrotas por ignorarmos a voz do Caminho, da Verdade, e da Vida, JESUS. Ninguém pode dar fruto se não permanecer em JESUS Cristo.

 

A queda de Massada foi o ponto final da revolta judaica, embora o sentimento de revolta tenha ainda persistido entre os judeus. Massada foi e permanece um símbolo do espírito judaico de desafio. Na verdade, cerca de dois mil anos depois, os soldados israelenses prestam o juramento de que “Massada nunca cairá novamente”. O Império Romano há muito tempo deixou de existir, no entanto o espírito daqueles que se opuseram a ele, até a morte, continua vivo.

 

Que o ocorrido como em Massada nunca mais se repita aos judeus, nem a nós!