Maria foi sempre virgem?

A doutrina católica ensina que Maria foi concebida sem pecado, viveu toda a vida virgem, mesmo depois de se casar com José; morreu e foi sepultada, mas ressuscitou ao terceiro dia e subiu ao céu – daí, os títulos como: Imaculada Conceição, Virgem Maria e Nossa Senhora da Assunção.

 

Dentre muitos ensinamentos extrabíblicos, a virgindade de Maria é inquestionável aos católicos porque esta se constitui o principal pilar do catolicismo.

 

Por que os católicos defendem ferozmente a virgindade mariana?
Quando a Bíblia diz que Maria era virgem, dá ênfase à concepção de JESUS pelo Espírito Santo, e não à própria virgindade da mulher. Já no conceito católico, sexo é pecado; e para livrar a Maria deste tão repudiado pecado, os “advogados” católicos tentam defendê-la de todas as maneiras, pois transformar em santo(a) alguém pecador(a) não faz sentido.

 

O que diz a Bíblia a respeito de sexo?
Na palavra de Deus, sexo dentro do casamento é bênção. Caso não fosse, a reprodução humana seria assexuada, e o Senhor Criador poderia muito bem ter decidido assim. O Senhor poderia ter começado o mundo já totalmente habitado, porém não foi, também, essa a opção do Criador. O Senhor disse:
“[…] Sede fecundos, multiplicai-vos, enchei a terra e sujeitai-a […]” (Gn 1:28)

 

Não faz sentido contrariar a palavra de Deus
Embora sexo no casamento não seja pecado, Maria se declarou pecadora reconhecendo a necessidade do Salvador (cf. Lc 1:47):
“E o meu espírito se alegrou em Deus, meu Salvador”

 

Ora, todos os pecadores precisam de JESUS, o Salvador. Na Epístola aos Romanos está:

“Pois todos pecaram e carecem da glória de Deus” (Rm 3:23)

 

A polêmica sobre a virgindade de Maria

“[…] Maria, sua mãe, desposada com José, sem que tivessem coabitado, achou-se grávida pelo Espírito Santo.” (Mt 1:18)

 

Maria era moça, jovem e virgem – como Mateus explica bem no Versículo acima; mas isto não significa que ela foi sempre virgem – antes, durante e depois do parto, como diz a doutrina romana.

 

A palavra hebraica “almah” traduzida como “virgem”, significa “jovem solteira”. Para as culturas mais conservadoras como a hebraica, toda solteira é obrigatoriamente virgem, no entanto, nem todas as solteiras são jovens. A tradução mais adequada então seria “jovem solteira” que é um pouco diferente de “virgem”, pelo menos na visão pagã.

 

Os católicos afirmam que Maria sempre foi virgem, mesmo depois do nascimento do Senhor JESUS; e que quando a Bíblia cita os irmãos e irmãs de JESUS, na verdade, estaria se referindo a primos ou parentes próximos. Este preceito denominado Dogma Mariano que foi proclamado em 649, pelo Concílio Ecumênico do Latrão, defende a virgindade de Maria, antes, durante e depois do parto.

 

Embora as palavras para irmão e irmã no hebraico podem referir-se a  um parente próximo, o sentido tem de ser determinado pelo contexto e por outros textos das Escrituras Sagradas. No caso dos irmãos e irmãs de JESUS, o contexto indica que se trata realmente dos irmãos e irmãs de JESUS porque:
  1. Em parte alguma a Bíblia afirma a doutrina da perpétua virgindade de Maria. Tal como a doutrina católica de que Maria nunca pecou, não há em toda a Bíblia nada que suporte esse ensino.
  2. Quando o termo irmãos e irmãs é empregado em conjunto com pai ou mãe, o sentido não é o de primos e primas, mas sim de irmãos e irmãs mesmo (Cf. Lc 14:26). Tal é o caso a respeito das menções dos irmãos e irmãs de JESUS. Mateus 13:55 diz: “Não é este o filho do carpinteiro? Não se chama sua mãe Maria, e seus irmãos, Tiago, José, Simão e Judas?” (Cf. também Mc 6:3)
  3. Há outras referências na Bíblia aos irmãos de JESUS. João nos informa de que “nem mesmo os seus irmãos criam nele” (Jo 7:5). E Paulo fala de “Tiago, o irmão do Senhor” (Gl 1:19). Em outra ocasião Marcos refere-se a “sua mãe e seus irmãos” (Mc 3:31). João falou de “sua mãe, seus irmãos e seus discípulos” (Jo 2:12). Lucas menciona que estavam no cenáculo “Maria, mãe de Jesus, e com os irmãos dele” (At 1:14).
Conclusão:
Maria teve mais filhos depois do nascimento do Senhor; por isso não é correto afirmar que ela se manteve virgem. JESUS foi gerado pelo Espírito Santo; os seus irmãos, pelo pai progenitor, José. Afirmar que Maria foi concebida sem pecado, viveu a vida toda virgem, mesmo depois de se casar com José, morreu e foi sepultada, mas ressuscitou ao terceiro dia e subiu ao céu é invalidar as mais de mil profecias a respeito do Senhor JESUS Cristo, negando ser ELE, o Caminho, a Verdade e a Vida.