Livros Apócrifos

Os Livros Apócrifos, também chamados Livros Pseudocanônicos, não são reconhecidos como autênticos pelos judeus nem pela maioria das igrejas cristãs; portanto, não são incluídos no cânon bíblico.

 

O anjo do Senhor disse ao apóstolo João, em cerca de 90 d.C., para não acrescentar nem diminuir nada da Palavra de Deus (cf. Ap 22:18-19). Quase quinze séculos depois, a Igreja Católica, no Concílio de Trento (1545-1563), acrescentou os livros conhecidos como Apócrifos. Todos estão no Antigo Testamento da Bíblia católica. São os seguintes livros: Tobias, Judite, Sabedoria de Salomão, Eclesiástico, Baruque, Epístola de Jeremias, 1 e Macabeus e acréscimo de dois capítulos aos livros de Ester e Daniel. Estes livros não são aceitos pelas seguintes razões:

  • Todos os livros da Bíblia devem ser inspirados por Deus (2Pe 1:20-21), porém nota-se facilmente que eles não atribuem a si inspiração divina;
  • O assunto do A.T. deve, obrigatoriamente estar ligado ao N.T., uma vez que estão intimamente ligados pelas profecias; além do mais, não são citados no Novo Testamento. Por exemplo, encontramos referências a Adão, Moisés, Davi, Salomão, Isaías, Elias, etc. no N.T. JESUS disse: “Lembrai-vos da mulher de Ló” (N.T. Lc 17:32) e no A.T. lemos: “E a mulher de Ló olhou para trás e converteu-se numa estátua de sal.” (A.T. Gn 19:26); Já, a respeito dos Apócrifos, não existe qualquer menção da parte do Senhor ou dos apóstolos no N.T.;

A palavra de Deus é infalível, isenta de erros e contradições. Em contrapartida, nos Apócrifos contêm ensinos incoerentes com os demais livros do cânon:

  • Judite e Tobias – contêm erros históricos, cronológicos e geográficos;
  • Judite foi escrito em grego, mas descreve a história na Babilônia;
  • 2, 3 e 4 Esdras – este último também conhecido como Apocalipse de Esdras – são adaptações de um conto persa;
  • Sabedoria de Salomão – ensina a criação do mundo a partir de matéria preexistente (11.17);
  • Eclesiástico – ensina que esmolas trazem a expiação do pecado (3.30);
  • Daniel e Ester – foram acrescentados mais dois capítulos;
  • Baruque – diz que Deus ouve as orações dos mortos (3.4);
  • 1 Macabeus – O estilo do texto é helenístico, indicando que foi escrito após o A.T. e contém grosseiros erros históricos e geográficos;
  • 2 Macabeus – Também em estilo helenístico, o autor do livro pede desculpas pelos erros em 15:38-39, como a seguir:

“[…] Finalizarei aqui minha narração. Se ela está felizmente concebida e ordenada, era este o meu desejo; se ela está imperfeita e medíocre, é que não pude fazer melhor.” (2 Macabeus 15:38-39)

 

Além destes livros incluído pelos católicos, existem quase uma centena de outros livros que têm sido descobertos pelos arqueólogos, e outros ainda poderão surgir. Ora, todos estes podem merecer algum crédito científico, histórico ou moral, mas não espiritual, porque não foram inspirados pelo Espírito Santo. Quanto a nós, não há a necessidade de nos alarmarmos, porque bastam os livros que o próprio Espírito Santo ajuntou para a nossa Bíblia:

“Buscai no livro do SENHOR e lede: Nenhuma destas criaturas falhará, nem uma nem outra faltará; porque a boca do SENHOR o ordenou, e o seu Espírito mesmo as ajuntará” (Is 34:16)