Livro de Malaquias

Há pessoas que ao ouvirem falar em Livro de Malaquias, imediatamente, pensam em dízimo. Mas será este o único ensinamento de Deus através de Malaquias?

 

Ao lermos com atenção o livro de Malaquias, percebemos que um povo desprovido de visão espiritual faz perguntas a Deus. O pior que isso não se aplicava somente ao povo, mas também aos sacerdotes que na hora determinada pela Lei, aparentemente, realizavam todos os rituais exigidos; no entanto, eram desprovidos de compreensão do santo e da vontade de Deus. Questionavam declarações precisas do SENHOR. Simplesmente não captavam qual era o problema. “Ouviam sem ouvir”, “viam sem enxergar”.

 

Quem eram esses? Eram os que faziam parte do povo amado e escolhido pelo SENHOR, os descendentes de Abraão, Isaque e Jacó.

 

Para melhor compreensão veja o que acontecia com esse povo:

  1. Não tinha certeza ou questionava o amor de Deus“Eu vos tenho amado,  diz o SENHOR;  mas vós dizeis:  Em que nos tens amado? “ (Ml 1:2);
  2. Dizia que não tinha problema, nem fazia mal oferecer a Deus algo cheio de defeitos (cf.  Ml 1:7~14);
  3. Quebrava a aliança feita, na presença de Deus, com seu cônjuge (cf. Ml 2:14~16);
  4. Achava que mesmo fazendo o mal passaria por bom, ou seja servia a Deus de uma maneira impura (cf. Ml 2:17);
  5. Não reconhecia os próprios erros (cf. Ml 3:7);
  6. Não devolvia os seus dízimos (cf. Ml 3:8~10);
  7. Em seu íntimo achava inútil servir a Deus (cf. Ml 3:13~15).

O “povo de Deus” pensava que era perfeito, porém estava contaminado com ideias mundanas. Podemos associar isso à igreja em Laodiceia.

Pois dizes: Estou rico e abastado, e não preciso de coisa alguma, e nem sabes que és infeliz, sim, miserável, pobre, cego e nu.” (Ap. 3:14)

 

A mensagem de Malaquias não é antiga nem ultrapassada, e sim, muito atual. Quantos, nos dias de hoje, consideram fazer parte do povo de Deus, que receberam a misericórdia do Senhor Jesus, e no entanto não se encontram na mesma situação?

 

Pois é! … É exatamente disso que Malaquias aborda.

 

Que a nossa geração acorde! Não dá para viver para Deus parecendo ser santo, no entanto sendo profano. Também não existe santificação pela metade. Deus virá buscar uma Igreja santa e irrepreensível, que se prepara como uma noiva prudente e não uma noiva néscia que é como “túmulo caiado”. Oh! Noiva  insensata!!! Arrepende-te e prepara-te enquanto há tempo!!!

 

Tanto Malaquias quanto Apocalipse encerram uma importante etapa na história e plano divino. Depois de Malaquias houve um grande período de silêncio, mas enfim veio o Salvador, Jesus Cristo. Numa época de engano espiritual, em que vivemos hoje, semelhante aos dias de Malaquias, temos uma certeza: o nosso amado Senhor Jesus voltará. Amém! Você está preparado?