“Lançai fora o velho fermento” (1Co 5:8)

Lançar fora o velho fermento significa abster-se de ensinamentos e costumes do mundo que vão contra a sã doutrina de Cristo. Ao nascer de novo (Jo 3:5), o homem de Deus deve viver uma vida nova, livre de qualquer compromisso com a perdição.

“Ou, porventura, ignorais que todos nós que fomos batizados em Cristo Jesus fomos batizados na sua morte?” (Rm 6:3) 

 

“Sabendo isto: que foi crucificado com ele o nosso velho homem, para que o corpo do pecado seja destruído, e não sirvamos o pecado como escravos” (Rm 6:6)

 

Certamente é uma grande tolice querer se aproximar do SENHOR com recursos meramente humanos, porque o homem natural jamais poderá entender as coisas espirituais, a não ser que este se torne espiritual (cf. Jo 3:6). Enquadra-se aqui, entre outros, noções e ensinamentos religiosos que o convertido recebeu nos tempos da ignorância, apenas com os olhos e ouvidos da carne. Ao recebermos a excelência do conhecimento de Cristo – não com os recursos do mundo, mas com o poder do Espírito Santo – consideramos perda tudo o que havíamos acumulado até então.

“Mas nós não recebemos o espírito do mundo, mas o Espírito que provém de Deus, para que pudéssemos conhecer o que nos é dado gratuitamente por Deus.” (1Co 2:12)

 

Fomos feitos um só corpo com Cristo, portanto devemos nos despir totalmente da mentalidade mundana, bem como das suas tradições; não podemos trazer na nossa bagagem algo que possa contaminar a Nova Vida. A Igreja, que é o corpo de Cristo deve ser mantida pura, longe de qualquer contaminação mundana. Por isso, a ordem é lançar fora o velho fermento:

“Lançai fora o velho fermento, para que sejais nova massa, como sois, de fato, sem fermento. Pois também Cristo, nosso Cordeiro pascal, foi imolado.” (1Co 5:8)

 

“[…] Despojeis do velho homem que se corrompe segundo as concupiscências do engano, e vos renoveis no espírito do vosso entendimento, e vos revistais do novo homem, criado segundo Deus, em justiça e retidão procedentes da verdade.” (Ef 4:22-24)

 

Por que para alguns é difícil se libertar do velho fermento?

Na carta enviada à igreja em Laodiceia, está escrito:

“Eis que estou à porta e bato; se alguém ouvir a minha voz e abrir a porta, entrarei em sua casa e cearei com ele, e ele, comigo.” (Ap 3:20)

 

Para o Senhor havia muita coisa errada com os cristãos daquela igreja, por isso Ele batia na porta, porém, as pessoas pouco se importavam com o clamor do Senhor porque estavam acomodadas e confortáveis na mornidão da própria fé. A mentalidade idólatra greco-romana havia contaminado os cristãos em Laodiceia. E nos dias de hoje? Quantas tradições mundanas não estão ao redor dos cristãos? Por isso, “lançai fora o velho fermento”. Esta não é uma mensagem antiga, e sim muito atual!