“Porquanto há um só Deus, e um só Mediador entre Deus e os homens, Jesus Cristo, homem”
(1Tm 2:5 JFA – Corrigida e Rev. Fiel)

 

Jesus Cristo é o único, eterno e verdadeiro Deus e ao mesmo tempo homem. O Versículo acima harmoniza perfeitamente com o de Fp 2:6-8, que diz:
 “Pois ele, subsistindo em forma de Deus, não julgou como usurpação o ser igual a Deus; antes a si mesmo se esvaziou, assumindo a forma de servo, tornando-se em semelhança de homens; e reconhecido em figura humana”
 
 
Dicionário – Subsistindo: Continuando a ser; vivendo; existindo; permanecendo
Deus veio à terra em forma humana porque essa é a única forma de o homem poder se reconciliar com Deus. Por isso, Paulo disse que Jesus Cristo homem é único Mediador entre Deus e os homens. Ele é o EMANUEL a quem se referiu o profeta Isaías; e o “Verbo que se fez carne e habitou entre nós”, como disse João (Jo 1:14).
“Portanto, o Senhor mesmo vos dará um sinal: eis que a virgem conceberá e dará à luz um filho e lhe chamará Emanuel.” (Is 7:14)

 

No Evangelho Segundo Mateus, 1:23, lemos entre parentes o significado do nome EMANUEL:
 
“[…] Emanuel (que quer dizer: Deus conosco)”

 

Houve nos primeiros séculos da história do cristianismo muitas heresias que negavam ter Jesus Cristo vindo em carne. Algumas seitas ensinavam que Jesus era só Deus e que nada havia nele de humano. Por outro lado, não era incomum outras seitas ensinarem que Jesus não teve um corpo humano, mas somente um corpo espiritual. Ambas as seitas estavam erradas. A Bíblia nos ensina tanto a divindade como a humanidade de Cristo:
 
“[…] Todo espírito que confessa que Jesus cristo veio em carne é de Deus; e todo espírito que não confessa a Jesus não procede de Deus […]” (1Jo 4:2-3)

 

Se o Senhor Jesus fosse meramente humano, jamais haveria a necessidade de a Bíblia dizer “Jesus Cristo homem”.
O ensino da humanidade de Cristo, no entanto, não neutraliza a Sua divindade, pois Ele possui duas naturezas: a humana e a divina, o que está claramente expresso no seu nome EMANUEL, como já vimos.