Interpretando corretamente Amós 4:1

O quarto capítulo do livro de Amós começa com as seguintes palavras:

“Ouvi esta palavra, vacas de Basã […]”

 

Estaria aqui, o profeta Amós buscando um diálogo com bovinos irracionais?

 

Para uma correta interpretação, além do texto completo, é indispensável uma leitura cuidadosa não só do versículo em questão, mas preferencialmente, de todo o capítulo; melhor ainda, todo o livro – isto é princípio para estudo de qualquer obra literária.

 

De uma maneira simples, costumo dizer: quem lê pela metade, entende pela metade!  A Bíblia, por ser Palavra inspirada pelo Espírito Santo (2Pe 1:21), deve ser lida e/ou ouvida com reverência (Tt 2:1) e compreendida sob a luz do Espírito Santo; porém, seria um nefasto engano pensar que qualquer pessoa que já leu a Bíblia Sagrada do começo ao fim esteja habilitada à pregação das Santas Palavras.

 

O texto completo de Am 4:1 é:

“Ouvi esta palavra, vós, vacas de Basã, que estais no monte de Samaria, que oprimis os pobres, que esmagais os necessitados, que dizeis a vossos maridos: dá cá, e bebamos”.

 

Com uma leitura cuidadosa do texto, logo o leitor percebe que Amós estava se referindo às mulheres samaritanas que oprimiam os pobres da região para se ostentarem nos prazeres carnais. Resolvendo este problema, imediatamente surge outro, quando nos perguntamos: como pode um homem de Deus usar um termo tão vulgar e pejorativo, mesmo que para com incrédulas?

“Palavras que, em visão, vieram a Amós que era entre os pastores de Tecoa, a respeito de Israel, nos tempos de Uzias […]”

Veja: Terremoto nos dias de Uzias

 

Levemos em consideração dois aspectos para solucionar este problema:

  1. Amós sendo pastor (Am 1:1), conhecia bem as terras da região onde pastavam os seus animais;
  2. Basã é uma terra notável de extraordinária fertilidade provada com a densidade da sua população (Dt 3.4 a 14).

O profeta estava se referindo às mulheres bem tratadas de Samaria, aquelas que se tinham tudo do bom e do melhor e conseguiam com isto uma aparência exuberante, semelhantes às vacas criadas na região de Basã. Paralelamente, podemos observar Ct 1:9, que poderia ser interpretado como um grande insulto nos dias atuais, mas levando em conta os valores da época de Salomão, é perfeitamente aceitável como elogio:

“Às éguas dos carros de Faraó te comparo, ó querida minha.”

 

Portanto, muito ao contrário do que a nossa cultura possa insinuar, “vacas de Basã” foi um irônico, porém respeitável, título utilizado por Amós para se referir àquela aristocracia.