Evangelização em Okinawa

img022

Pátio do castelo de Shuri, Naha – capital da província de Okinawa

Bernard Jean Bettelheim (1811-1870), foi um judeu húngaro que se tornou missionário cristão após conhecer o Evangelho do Senhor e ser batizado em Esmirna, atual Turquia.

 

Em meados de setembro de 1845, após uma breve estada na China, Bettelheim e família partiram para Okinawa, no Japão. Naqueles tempos, o Japão ainda permanecia um país fechado para os estrangeiros; por isso, Bettelheim enfrentou uma grande resistência do governo local, que após muita negociação, finalmente autorizou o seu desembarque em 30 de abril de 1846.

 

Bettelheim conseguiu abrigo, quem diria, num templo budista. Lá permaneceu durante sete anos seguintes. Durante a sua estada em Okinawa, além de fazer o trabalho de evangelista, Bettelheim traduziu os seis primeiros livros do Novo Testamento para o idioma local, compilou um dicionário e, mais tarde, devido ao seu conhecimento de cultura e língua local, serviu a várias missões diplomáticas estrangeiras que se aportaram em Naha, capital de Okinawa. Entre os seus ilustres visitantes, está o comodoro Matthew Perry, da marinha norte americana.

 

Matthew Perry (1794-1858) foi a peça fundamental para a modernização do Japão. Em 1852, Perry embarcou de Norfolk, Virginia para o Japão.  Com a ajuda de Bettelheim, Perry conseguiu que os japoneses assinassem o Tratado de Kanagawa (1854), que abriria definitivamente as portas do Japão para o Ocidente.

 

Bettelheim e a evangelização de Okinawa

Bíblia de Bettelheim Evangelho Segundo Lucas

Bíblia de Bettelheim
Evangelho Segundo Lucas

O governo japonês proibia os habitantes de Okinawa a manterem qualquer tipo de comércio com os estrangeiros, por isso, eles procuravam sempre manter distância de Bettelheim por medo de serem acusados ​​de negociar com os estrangeiros; e isto dificultava extremamente a obra de evangelização, mesmo depois de muitos anos morando em Okinawa. Por várias vezes, Bettelheim pregou no pátio do castelo de Shuri, e após meses de tentativas fracassadas de contato com os nativos, o missionário passou a distribuir os exemplares de Bíblias traduzidas por ele, deixando-as na porta das casas; porém, as Bíblias eram sempre rejeitadas e devolvidas na porta da residência de Bettelheim durante a madrugada. Essa tentativa se repetiu por várias vezes até que numa certa manhã, Bettelheim notou a falta de uma Bíblia.

 

 

okinawa_map_yomitan (1) Em 1854, Bettelheim e família deixaram Okinawa e se dirigiram à New York. Talvez, Bettelheim nunca soube o que acontecera com aquele exemplar da Bíblia que não havia sido devolvida; mas décadas depois, já no século seguinte, o missionário Kiso Murai da nossa igreja visitou Okinawa, soube através de nativos que havia uma casa onde estava guardada a Palavra de Deus. Dirigindo-se a tal casa na vila de Yomitan, o missionário constatou que tratava de rara tradução da Bíblia para o idioma local. Mais tarde, a família que havia guardado  o exemplar de Bettelheim (por temor, mesmo sem nunca ter lido), creu no Senhor JESUS, e todos os daquela casa foram batizados em nome do Senhor JESUS Cristo. Todos os filhos daquela família se tornaram pastores e pregadores e hoje vemos até a quarta geração daquela família evangelizando nos quatro cantos do mundo. Aleluia!