Echad ou Yachid?

A importância de estudar esse assunto:

Paulo falou aos crentes em Colossos a necessidade de terem “forte convicção do entendimento, para compreenderem plenamente o mistério de Deus, Cristo, em quem todos os tesouros da sabedoria e do conhecimento estão ocultos” e, completando, advertiu para que ninguém os enganassem com raciocínios falazes (cf. Cl 2:2-4).

Veja bem:

  • este mistério de qual Paulo falou não é o suposto Mistério da Santíssima Trindade inventado nos concílios humanos que muitos andam anunciando;
  • prevenir-se de raciocínios falazes significa abster-se de falsos ensinamentos, visto que neste século existe uma infinidade de filosofias e ensinamentos religiosos convincentes, porém contraditórios às Escrituras Sagradas.

Ultimamente, com um pouco de aula de hebraico on-line, alguns curiosos e amadores tem se aventurado em procurar argumentos na Bíblia hebraica para tentar sustentar suas doutrinas extra-bíblicas e já a insustentável doutrina da suposta divina trindade. As vítimas desta vez, são as palavras hebraicas Echad e Yachid.

 

A Bíblia, que é Palavra de Deus, sempre nos ensinou que Deus é único, e que qualquer tipo de politeísmo é abominação. Neste estudo questionamos os termos hebraicos Echad e Yachid, ambos normalmente traduzidos para a nossa língua como: um, único, ou suas variáveis.

 

Em qual versículo da Bíblia podemos encontrar a palavra Echad (אחד)?

Em muitas; mas tendo como principal exemplo, a confissão monoteísta da fé judaica em Dt 6:4:

“שמע ישראל י-ה-ו-ה אלוהינו י-ה-ו-ה אחד” (hebraico)

“Shemá Yisrael Ado-nai Elohêinu Ado-nai Echad” (transliteração)

“Ouve, ó Israel, Adonai nosso Deus é Um” (tradução)

 

O problema:

Nas nossas reuniões e cultos, temos citado incansavelmente as palavras de Dt.6:4-9, as mesmas que o Senhor JESUS citou:“Respondeu Jesus: O principal [mandamento] é: Ouve, ó Israel, o Senhor, nosso Deus é o único Senhor!” (Mc 12:29). O problema é que alguns trinitaristas afirmam que há um mistério nesta frase, e explicam da seguinte forma:

“A palavra Echad utilizada na Bíblia hebraica significa uma unidade composta, ou seja, dá ideia de fusão de várias coisas em uma só. Exemplo: um monitor + um CPU + um teclado + um mouse = um computador. Semelhantemente, o Pai + o Filho + o Espírito Santo formariam um (echad).”

 

A passagem bíblica que eles costumam citar para tentar comprovar essa ideia é de Gênesis 2:24, onde a palavra Echad é empregada no sentido composto: homem + mulher = uma (echad) só carne.

“Por isso, deixa o homem o pai e mãe e se une à sua mulher, tornando-se os dois uma só carne.”

 

ou, ainda:

“Houve tarde e manhã, o primeiro dia” (Gn 1:5, onde tarde + manhã = primeiro = um) 

 

Os pregadores da doutrina trinitarista afirmam que se a Bíblia estivesse falando de uma unidade absoluta de Deus, a palavra hebraica certa seria Yachid; mas como a Bíblia hebraica diz Echad, entendem que haja aí uma pluralidade divina. Assim explicam para promoverem a sua estranha e confusa doutrina trinitarista, mas isso não passa de apelo e manipulação de palavras com argumentos tendenciosos.

 

“Echad” pode ter ambos sentidos

Devemos verificar toda a Bíblia porque todas as palavras bíblicas concordam entre si. Se observarmos isoladamente apenas os versículos apresentados pelos trinitaristas, até mesmo os judeus ortodoxos poderiam ficar confusos; porém, a própria Bíblia nos ensina que devemos seguir o exemplo dos irmãos bereanos para não cairmos em falácias:

“Ora, estes de Bereia eram mais nobres que os de Tessalônica; pois receberam a palavra com toda a avidez, examinando as Escrituras todos os dias para ver se as coisas eram, de fato, assim.” (At 17:11)

 

Então, vamos mencionar outras passagens da Bíblia para colocarmos lado a lado com os argumentos trinitários:

    • Dt 17:6 – diz que o réu poderá ser condenado através de testemunha de duas ou três pessoas, porém não por depoimento de “uma só pessoa”. Embora o termo hebraico empregado aqui seja Echad, o contexto indica claramente que está falando de unidade absoluta “1”, e jamais uma unidade composta como querem os trinitaristas;
    • Ec 4:7-8 – diz a respeito de “um homem sem ninguém, sem filho, nem irmã” , referindo claramente a “1” numérico absoluto.

 

Yachid (יחיד)

A palavra Yachid empregada em Gn 22:2 derruba a concepção errônea de que Yachid só pode ser interpretada no sentido absoluto. Quando o SENHOR disse a Abraão: toma o seu único [yachid] filho, sabemos que naquele momento, Abraão já tinha outro filho, o Ismael (Gn 16:15); portanto, Isaque não poderia ser o único filho absoluto.

 

O semelhante notamos em Pv 4:3, quando Salomão diz ser único [yachid] diante de sua mãe. Salomão poderia ter sido único diante de sua mãe, mas não diante de seu pai que tinha outros filhos com mulheres diferentes. Portanto, mais uma vez notamos que a palavra Yachid não significa único absoluto, necessariamente.

 

Yachid não significa UM absoluto, como querem os trinitaristas. Na Bíblia hebraica, a palavra Yachid é empregada num sentido especial, referindo-se:

  • a uma única posse, de valor inestimável, seja uma pessoa ou um objeto, como já vimos acima, a respeito do precioso filho de Abraão (cf. Gn 22:2; 12 e 16);
  • à pessoa solitária, desolada, isolada ou abandonada e necessitada (cf. Sl 25:16; 68:6).

O motivo pelo qual o termo Yachid não é empregado em Dt 6:4, ou qualquer outra passagem bíblica que se refere a Deus é óbvio: o nosso SENHOR é único; ELE não carece de companhia de outros deuses, tampouco depende de alguém.

“[…] Para que saibais, e me creiais, e entendais que sou eu mesmo, e que antes de mim deus nenhum se formou, e depois de mim nenhum haverá.” (Is 43:10)

 

Deuteronômio 6:4 – O SENHOR nosso Deus é UM

Ao ler Dt 6:4, pergunte-se: a quem o SENHOR ensinou que ELE é único? Em que circunstância?

 

Resposta: O SENHOR ensinou que ELE é único ao seu povo que estava chegando de terras politeístas e idólatras do Egito, de Moabe, de Edom, de Amom, etc., e que estava entrando nas terras igualmente infestadas de politeísmo dos cananeus. Não faria sentido o SENHOR proibir a crença na pluralidade de deuses daquelas nações para o seu povo crer na SUA pluralidade. Aqui se enxerga nitidamente o contraste entre o politeísmo das nações que rodeavam Israel e a crença monoteísta em Deus único absoluto. Não há nenhuma lógica em interpretar a afirmação do SENHOR de que ELE é UM não signifique literalmente UM.

 

Pelo contexto do versículo em questão, Deus é claramente, e simplesmente UM, no sentido de Único. Não há nenhum indício no texto de que Deus seja uma junção de várias pessoas compondo um único Ser Supremo.