“Davi de Michelangelo”

DavidNa Academia de Belas Artes de Florença, na Itália, está exposta em caráter permanente, a famosa estátua de um homem em pé completamente nu. Essa estátua é conhecida como “Davi de Michelangelo”, obra do artista renascentista Michelangelo. A estátua esculpida em um único bloco de mármore carrara é considerada obra-prima do renascentismo e foi encomendada pelo Papa Júlio II durante o seu pontificado (1503-1513).

 

Nessa obra considerada perfeita há um pequeno detalhe esquecido ou ignorado por muitos e que revela grandes intenções de Júlio II e sua cúpula naquela época.

 

O patrão de Michelangelo e suas intenções

roma

Pinturas no interior da Capela Sistina: Obra de Michelangelo

Algumas enciclopédias citam o Papa Júlio II como “patrão de Michelangelo”, o que não é exagero. Michelangelo lia a Bíblia regularmente, e não é possível que ele não sabia que os israelitas mantém, desde os tempos mais remotos, o costume de circuncidar. Seguramente, o Davi da Bíblia era circuncidado, ao passo que o de Michelangelo, não.

 

Segundo muitos judeus e estudiosos contemporâneos, a incircuncisão de Davi de Michelangelo foi encomendada por Júlio II com clara intenção discriminatória contra os judeus, assim como fizeram muitos outros líderes católicos da época. Não há nada hebraico nas obras artísticas católicas, pelo contrário, as suas esculturas e pinturas que dizem retratar os profetas e apóstolos parecem mais com filósofos gregos ou videntes que o clero católico tanto admirava. Além disso, predominam cenários helenísticos, romanos ou bizantinos, totalmente diferente da realidade judaica.

 

The Last Supper Restored, Leonardo Da Vinic

“A Última Ceia” de Leonardo da Vinci é outra obra repleta de segundas intenções, o que lhe rendeu várias especulações como   “O Código da Vinci”

Tais deturpações encomendadas intencionalmente pelos papas daquela época são frutos da inquisição imposta pela igreja católica que perseguia também os judeus. Retratar a vida dos judeus, ainda que dos judeus piedosos da Bíblia, passou a ser incompatível com as intenções do clero de aniquilar o povo judeu. Por isso, não há razão para admirar teorias conspiratórias como O Código da Vinci, Jesus de cabelos longos, a Santíssima Trindade, o Papai Noel, entre outras, que surgem no mundo de tempo em tempo.

 

 “A Última Ceia” – Essa cena retratada por Leonardo da Vinci (ao lado) tornou-se tão popular que muitas pessoas pensam (ou nem pensam) que a última ceia de fato ocorreu como está pintada.

 

Adão e Eva

“Adão e Eva” por Lucas Cranach (1528). A Bíblia nunca disse que eles comeram maçã. Afinal, eles tinham umbigos?

Leonardo da Vinci não foi contemporâneo dos apóstolos; ele pintou a cena depois de quase 15 séculos. Todo artista usa a criatividade para se promover. É claro que o artista teve que inventar o cenário e a aparência das pessoas retratadas, afinal ele nunca as tinha visto antes. Essa obra, aparentemente inocente, diversas vezes reproduzidas em meios de comunicação ou em souvenires, acabou cauterizada no subconsciente das pessoas. Eu mesmo já vi a reprodução na casa de muitos irmãos, e até de pastores. Daí fica fácil impressionar os incautos, dando margens ao engano e incontáveis especulações e teorias conspiratórias que produzem batalhões de ateus.

“Que aproveita o ídolo, visto que o seu artífice o esculpiu? E a imagem de fundição, mestra de mentiras, para que o artífice confie na obra, fazendo ídolos mudos?” (Hb 2:18)

 

Ora, por mais que sejam valiosas, não tragam essas obras tendenciosas ou suas cópias para a fé evangélica. A observância da ordem do SENHOR que proíbe imagens (Êx 20:4) deve ser o suficiente.

“Isto, portanto, digo e no Senhor testifico que não mais andeis como também andam os gentios, na vaidade dos seus próprios pensamentos, obscurecidos de entendimento, alheios à vida de Deus por causa da ignorância em que vivem, pela dureza do seu coração.” (Ef 4:17-18)

 Veja: Presépio

A questão da circuncisão dos judeus

David1Sabemos que para os judeus, a questão da circuncisão é indiscutível. Retratar Davi, o herói da nação israelita incircunciso é uma grande ofensa ao povo judeu. Isto não é exagero da minha parte, veja o que diz a Bíblia:

“Então, lhe deu a aliança da circuncisão; assim, nasceu Isaque, e Abraão o circuncidou ao oitavo dia […]” (At 7:8)

 

“Com efeito, será circuncidado o nascido em tua casa e o comprado por teu dinheiro; a minha aliança estará na vossa carne e será aliança perpétua.” (Gn 17:13)

 

“O incircunciso, que não for circuncidado na carne do prepúcio, essa vida será eliminada do seu povo; quebrou a minha aliança.” (Gn 17:14)

 

Mais tarde, com Moisés e a entrega da Lei, a aliança da circuncisão foi reconfirmada: A circuncisão passou a ser considerada o “sinal” da aliança de Deus com o povo judeu (Gn 17:11-14; Lv 12:3). Não era opcional. Davi foi excepcionalmente zeloso em sua busca em obedecer a Deus, e isto pode ser observado na declaração que ele fez quando ainda era um pastor. Davi ficou indignado ao saber que o Golias insultara o exército israelita durante dias, e que ninguém estava disposto a enfrentá-lo sozinho na batalha. Foi quando ele disse:

“[…] Quem é, pois, esse incircunciso filisteu, para afrontar os exércitos do Deus vivo?” (1 Sm 17:26)