“Credo dos Apóstolos”

Quem nunca ouviu a expressão “creeedo!”? Ou ainda “cruz-credo!”? Há quem pense que estas expressões são interjeições de nojo ou de terror; assim como pensam que “nossa!”, “vixe!”, “ave!”, “mamma mia” são interjeições de espanto. Na verdade, todas estas expressões tem origem no Catolicismo Romano.

 

Você sabia? – Madonna (italiano) significa mia donna, isto é, minha senhora; referência à Virgem Maria.

 

“Credo dos Apóstolos”

Ao contrário do que sugere o nome, o “Credo dos Apóstolos” não se originou com os apóstolos do Senhor JESUS, mas foi elaborado alguns séculos depois pela igreja Católica Romana e significa Símbolo dos Apóstolos. A partir de então, passou a ser uma reza e confissão da fé Católica, mas mais tarde, foi copiado e/ou adaptado pelas igrejas anglicanas, luteranas, presbiterianas e até algumas evangélicas.

 

Veja o Credo na íntegra:

“Creio em Deus Pai, todo-poderoso, Criador do céu e da terra

E em Jesus Cristo, um só seu Filho, Nosso Senhor,

Que foi concebido pelo poder do Espírito Santo, nasceu de Virgem Maria;

Padeceu sob o poder de Pôncio Pilatos,  foi crucificado, morto e sepultado;

Desceu à mansão dos mortos, ressuscitou ao terceiro dia;

Subiu ao Céu, está sentado à direita de Deus Pai todo-poderoso,

De onde há de vir a julgar os vivos e os mortos.

Creio no Espírito Santo,

Na Santa Igreja Católica, na comunhão dos Santos,

Na remissão dos pecados,

Na ressurreição da carne,

Na vida eterna. Amém.”

 

O Credo não nos é recomendável porque:

  • embora seja composto por vários versículos bíblicos, não se originou com os apóstolos do Senhor JESUS Cristo, como sugere o nome;
  • não enfatiza necessariamente todos os assuntos importantes apresentados na Bíblia;
  • em vez de formular um credo resumido, cremos que nada é melhor do que a Bíblia completa;
  • o uso deste credo nos associaria com o Catolicismo Romano e a sua doutrina trinitária.