Carta à igreja em Pérgamo

Texto base: Apocalipse 2: 12-17

A igreja em Pérgamo retrata a igreja do período entre os séculos IV e VI d.C. Até o começo do Século IV, Satanás perseguiu implacavelmente a igreja, porém quanto mais perseguia, mais a igreja se espalhava e crescia. Não podendo destruir a igreja, o inimigo mudou de tática e tratou de se ingressar nela. Desde então, o maior perigo da igreja deixou de ser a perseguição e passou a ser a corrupção. Sim, a nova tática do Mal foi de parar de atacar a igreja por fora e passar a atacar por dentro, infiltrando-se no seio da igreja para então, lentamente, corromper o evangelho.

 

Antipas

Antipas foi um cristão que semeou o evangelho do Senhor JESUS em Pérgamo, ainda no primeiro século da era cristã. Naqueles tempos, havia vários templos pagãos na

touro de bronze

cidade, tais como templo de Zeus, Júpiter e templos de culto a imperador romano. Por isso, a cidade de Pérgamo foi conhecida como “o maior centro pagão da Ásia”. Segundo a tradição, Antipas foi condenado à morte porque negou o culto ao imperador e a Roma, onde milhares de cristão já haviam sido vitimados. Antipas foi assado vivo dentro de um touro de bronze no altar de Zeus.

 

Pergamonmuseum

Pergamonmuseum – Berlim

 

Embora as ruínas da antiga Pérgamo fique em Bergama, atual Turquia, o museu que leva o nome da cidade fica a milhares de quilômetros, em Berlim, capital alemã.

 

No final do século retrasado, a equipe do arqueólogo Carl Humann escavou o altar de Zeus em Pérgamo. Mais tarde, os acordos mantidos pelo então Império Alemão com o Império Otomano, permitiram o transporte do achado a Berlim. O altar de Zeus foi cuidadosamente desmontado e transportado em carroças até o porto, de onde seguiu de navio da marinha alemã até Berlim, onde foi montado para exposição pública.

Zeppelintribune – Nuremberg

 

O Pergamonmuseum foi inaugurado em 1930 com o altar de Zeus como sua principal atração. O monumento trazido da Ásia se tornou um grande orgulho nacional, competindo com os acervos do British Museum e de Louvre. Logo, o então governo nazista da Alemanha se inspirou no altar de Zeus e ordenou a construção de Zeppelintribune, em Nuremberg, usando como sede de convenções do partido nazista.

 

Coincidência ou não, o altar de Zeus onde Antipas foi imolado e o Zeppelintribune de onde foi anunciada a Solução Final (holocausto judaico) são descritos em Apocalipse com as seguintes palavras:

“Conheço o lugar em que habitas, onde está o trono de Satanás” (Ap 2:13)

 

 

Doutrina de Balaão

No Antigo Testamento vemos o ganancioso profeta Balaão se corrompendo e em troca de recompensas ele procura agir contra o SENHOR, nosso Deus e o Seu povo, mas é impedido pelo anjo do Senhor. O que Balaão fez? Enviou prostitutas cultuais para seduzir os israelitas. Naquele dia 24 mil morreram (cf. Nm 24 e 25).

 

De forma semelhante, a igreja em Pérgamo foi atingida por seduções diabólicas. Em Ap 2:14 vemos que alguns naquela igreja sustentavam doutrinas corrompidas de homens como Balaão. Se antes o inimigo procurava substituir a igreja pelo paganismo, agora, a proposta era de misturar a igreja com o paganismo; e isto tem nome: ecumenismo.

 

 

Doutrina dos nicolaítas

“Outrossim, também tu tens os que da mesma forma sustentam a doutrina dos nicolaítas” (Ap 2:15)

 

Os nicolaítas eram um grupo religioso da antiguidade que afastando do ensino da Palavra de Deus, divulgava ideias próprias. Estes se infiltraram em algumas igrejas primitivas não propriamente para tirar os primeiros cristãos do Caminho do Senhor, mas para semear joio e sufocar lentamente o rebanho, ali mesmo, dentro da igreja.

 

O apóstolo Paulo, nos dois primeiros versículos de 1Tm 4, escreveu:

“Ora, o Espírito afirma expressamente que, nos últimos tempos, alguns apostatarão da fé, por obedecerem a espíritos enganadores e ensinos de demônios, pela hipocrisia dos que falam mentiras e que têm cauterizada a própria consciência.”

 

Pedro advertiu:

“Assim como, no meio do povo, surgiram falsos profetas, assim também haverá entre vós falsos mestres, os quais introduzirão, dissimuladamente, heresias destruidoras, até ao ponto de renegarem o Soberano Senhor que os resgatou, trazendo sobre si mesmos repentina destruição. E muitos seguirão as suas práticas libertinas, e, por causa deles, será infamado o caminho da verdade; também, movidos por avareza, farão comércio de vós, com palavras fictícias; para eles o juízo lavrado há longo tempo não tarda, e sua destruição não dorme.” (2Pe 2:1-3)

 

Ruínas de Pérgamo

Os nicolaítas eram conquistadores de pessoas leigas e/ou indecisas. No plano espiritual, nicolaítas são os que se infiltram nas igrejas e se esforçam em semear ensinamentos contrários a sã doutrina do nosso Senhor com a esperança de abocanhar os menos firmes na fé para a sua seita. Na prática, se fala dos falsos convertidos ou visitantes com intenções maliciosas na igreja do Senhor.

 

Há um provérbio que diz:

Uma galinha achou um ovo perdido; ela o juntou aos seus ovos para chocá-lo e logo, dele nasceu uma serpente. Coração de mãe é grande: a princípio, a galinha ficou espantada, mas ficou com dó e criou a serpente como se fosse seu filhote. A serpente cresceu e devorou a galinha.

 

Ora, devemos amar o próximo, mas não cegamente a ponto de comprometer a nossa própria salvação. Por isso, as mensagens enviadas àquelas igrejas do Livro de Apocalipse terminam dizendo:

“Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas.” (Ap 2:7 e 17)

 

 

Todo aquele que não traz a doutrina do Senhor JESUS seja anátema. As ovelhas do Senhor ouvem e reconhecem a Sua voz, por isso, odeia a obra dos nicolaítas. Como nas demais cartas, a que foi enviada à igreja em Pérgamo também termina com a mensagem:

“Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas […]” (Ap 2:17)