Árvore do Ténéré

Níger é um país africano sem saída para o mar. Ao nordeste do seu território, está o deserto do Ténéré, uma região centro sul do deserto do Saara.  Até a década de 1970 havia ali uma árvore – não uma muda outree-tenere2 planta de pequena estatura, mas uma árvore mesmo. Ela era a única árvore no raio de 200km. Sim, a única árvore do deserto, por isso era um ponto de referência para as caravanas que atravessavam o deserto. Os viajantes a camelos, jipes, motos, ou até mesmo a pé, todos faziam questão de pernoitar ao redor da árvore.

 

Em 1938, os viajantes começaram a cavar um poço ao lado da árvore, crendo que “onde tem vida, tem água”. Cavaram até a profundidade de 35 metros até finalmente acharem água.

 

O mais interessante para nós nisto tudo é que a árvore é da família da acácia. Se você abrir Êxodo 25, verificará que quando os israelitas marchavam pelo deserto em direção à terra de Canaã, o SENHOR Deus ordenou que construíssem um santuário com materias que eles tinham trazido do Egito: ouro, prata, linho, peles, pedras preciosas e madeira de acácia.

 

Teriam os isralitas trazido tábuas do Egito? Em Êxodo está registrado que quando os israelitas estavam partindo definitivamente do Egito, pediram objetos de ouro, prata e roupas, porém não há nenhum registro a respeito de tábuas de acácia:

“Fizeram, pois, os filhos de Israel conforme a palavra de Moisés e pediram aos egípcios objetos de prata, e objetos de ouro, e roupas. E o SENHOR fez que seu povo encontrasse favor da parte dos egípcios, de maneira que estes lhes davam o que pediam. E despojaram os egípcios.” (Êx 12:35-36)

 

Podemos compreender facilmente que aqueles homens e mulheres levavam objetos de ouro e prata, bem como roupas e mais algumas coisas pequenas; mas seria um pouco fora da realidade imaginarmos eles carregando tábuas de mais de 4 metros de comprimento – afinal, eles estavam em fuga.

“Cada uma das tábuas terá dez côvados de comprimento e côvado e meio de largura” (Êx 26:16)

 

Considerando que cada côvado (medida antiga) corresponde a aproximadamente 44,4cm, as tábuas exigidas pelo SENHOR tinham 4,44m de comprimento por 0,22m de largura, o que dá uma árvore de grande porte.

 

A árvore do Ténéré pode ser um indício de que, bem diferente do que pensamos hoje, os desertos de 4000 anos atrás não eram tão hostis como são hoje. Os desertos sempre existiram, mas podemos levar em consideração que o clima do planeta mudou bastante nos últimos 40 séculos.

 

Se o povo de Deus não saiu do Egito com tábuas de mais de 4 metros, então, talvez, só resta pensarmos que Israel derrubou acácias no deserto para construir o tabernáculo do SENHOR. Mesmo que o deserto por onde peregrinou o povo de Deus  não seja o  do Ténéré, podemos ter certeza de que o SENHOR Deus providencia tudo o que é necessário para honrar a Sua Palavra. A árvore do Ténéré é uma prova disso. Aleluia.