Aniversário

Durante um julgamento no tribunal, o promotor interrogou o acusado: Qual a data do seu aniversário?

O acusado respondeu:  25 de janeiro.

De que ano? Perguntou o promotor.

Todos! Respondeu o acusado.

 

Aniversário de nascimento, aniversário de casamento, aniversário da empresa… A palavra ANIVERSÁRIO, em português, deriva do Latim anniversarius que significa “o que volta anualmente”. Certamente esta é uma data digna de comemorações. O SENHOR disse a Israel para firmar bem as suas estacas para então avançar. As estacas representam a base bem feita, mas também um marco. Quem nunca ouviu falar de “estaca zero?”:

“Alarga o espaço da tua tenda; estenda-se o toldo da tua habitação, e não o impeças; alonga as tuas cordas e firma bem as tuas estacas. Porque transbordarás para a direita e para a esquerda; a tua posteridade possuirá as nações e fará que se povoem as cidades assoladas.” (Is 54:2-3)

 

Ainda no Livro de Isaías, o SENHOR nos ordena a olharmos para o nosso próprio passado para rendermos graças a ELE. Veja quantas bênçãos temos recebido desde quando fomos chamados por ELE:

“Ouvi-me vós, os que procurais a justiça, os que buscais o SENHOR; olhai para a rocha de que fostes cortados e para a caverna do poço de que fostes cavados.” (Is 51:1)

 

Assim, entendemos que festas comemorativas são importantes na nossa caminhada com o Senhor. Mas preste atenção: Todas as festas comemorativas que vemos na Bíblia Sagrada têm como homenageado o SENHOR, nosso Deus. Toda glória (inclusive os parabéns) deve ser tributado a Deus.

Pense: quem lhe permite completar mais um ano de vida?

“Quem de vocês, por mais que se preocupe, pode acrescentar uma hora que seja à sua vida?” (Mt 6:27 – Versão Internacional)

 

Devemos reconhecer que somos incapazes nas mínimas coisas, e dependemos constantemente da graça e da misericórdia divina. Festejemos sempre com o SENHOR, e na SUA presença dando graças e louvores:

  • “Comê-lo-ás perante o SENHOR, tu e a tua casa, de ano em ano, no lugar que o SENHOR escolher.” (Dt 15:20)
  • “[…] Come-o ali perante o SENHOR, teu Deus, e te alegrarás, tu e a tua casa.” (Dt 14:26)
  • “[…] E te alegrarás perante o SENHOR, teu Deus.” (Dt 27:7)
  •  

Discernimento

Somos livres. A igreja não proíbe de fazer festas de aniversário ou outras comemorações, porém os cristãos devem ter bom senso e discernir as coisas. Ninguém deve preparar festas para se vangloriar, nem para se sentir “príncipe (ou princesa) por um dia”:

“Em dia designado, Herodes, vestido de trajo real, assentado no trono, dirigiu-lhes a palavra; e o povo clamava: É voz de um deus, e não de homem! No mesmo instante, um anjo do Senhor o feriu, por ele não haver dado glória a Deus, e, comido de vermes, expirou.” (At 12:21-23)

 

Toda festa tem motivo

Procure saber quem ou o que está sendo festejado. Porque, por mais que seja animada a festa,  sem o SENHOR, não é festa – Israel aceitou o convite das moabitas para uma festa pagã e isto o levou à ruína (cf. Nm 25)

 

O anfitrião

É dever do anfitrião conduzir todos os convidados para oração e louvores de agradecimento ao SENHOR. Afinal, sem O SENHOR, nosso Deus, nada somos e nada podemos. O aniversariante não tem nada que se orgulhar, pelo contrário, deve se humilhar perante o SENHOR que o chamou das trevas para a Sua maravilhosa luz e tê-lo concedido graças e misericórdias para estar em pé neste dia. No dia da festa, o anfitrião deve dar testemunhos a respeito da graça do Senhor e conduzir todos os seus convidados para a adoração.

“Vós não sabeis o que sucederá amanhã. Que é a vossa vida? Sois, apenas, como neblina que aparece por instante e logo se dissipa.” (Tg 4:14)

 

Festa infantil

Muitos pais dizem que são as crianças que pedem festinhas. Na verdade, quem quer festas são os próprios adultos ou crianças que foram mal instruídas pelos adultos. Costumam-se fazer festinhas para bebês de um ano de idade, e o aniversariante, certamente, não tem a mínima ideia do que está acontecendo. Pense bem: não seria muito melhor, sensato e certo todos se reunirem na igreja para ações de graças perante o Criador?

“Crescia o menino [Jesus] e se fortalecia, enchendo-se de sabedoria; e a graça de Deus estava sobre ele.” (Lc 2:40)

 

O mundo é sujo

Devemos andar na justiça de Deus. Fomos tirados do mundo, e o mundo não nos pertence. Por isso, não faz sentido andarmos no curso deste mundo, imitando os seus procedimentos insensatos. Questione:

    • Por que acender velas em cima do bolo?  Bolo é comida. Acender velas coloridas em cima de comida é no mínimo muito estranho. Se você pensou num tipo de despacho, acertou. Isso teve origem em ritos de magia e foi sendo copiado por outros povos até chegar nos tempos atuais.

 

    • Por que todos se alegram quando se apaga a vela e fica na escuridão? Pelo que sabemos, JESUS  é a luz (Jo 8:12) e NELE devemos nos alegrar (Sl 33:21), porque não somos filho das trevas (Jo 1:5). “[…] Deixemos, pois, as obras das trevas e revistamo-nos das armas da luz. Andemos dignamente, como em pleno dia, não em orgias e bebedices, não em impudicícias e dissoluções, não em contendas e ciúmes; mas revesti-vos do Senhor Jesus Cristo e nada disponhais para a carne no tocante às suas concupiscências.” (Rm 13:12-14)

 

    • Por que fazer pedidos antes de cortar o bolo?  Bem, todo mundo sabe que bolo não é comida do dia a dia, e sim de ocasiões especiais. Os israelitas preparavam bolos como oferta ao SENHOR (Lv 7:12). Mais tarde, povos pagãos passaram a imitar os israelitas e a fazer o mesmo para os seus deuses. Daí o costume de fazer pedido “a deuses pagãos” antes de comer o “sacrifício do altar”. “Não podeis beber o cálice do Senhor e o cálice dos demônios; não podeis ser participantes da mesa do Senhor e da mesa dos demônios.” (1Co 10:21)

 

    • Não amaldiçoe; abençoe (cf. Rm 12:4) – Então, por que se diz “para o fulano nada!!!” ?

 

    • “É pique, é pique… ha, tchim, bum!” – O que é isso? Se você não sabe explicar, tão pouco sabe a origem desta frase, não a recite.

 

  • Chapeuzinho de aniversário – aquele chapéu em forma de cone é réplica do de bruxos. As festas pagãs estão cheias de simbolismo, e com propósito de adorar deuses falsos, misturam elementos idólatras de bruxaria e magia, entre outros; bem como louvores aos “santos do dia” e “santos protetores” como creem os idólatras. Lembre-se do que o SENHOR disse: “Quando entrares na terra que o SENHOR, teu Deus, te der, não aprenderás a fazer conforme as abominações daqueles povos.” (Dt 18:9)

 

Fomos feitos povo de propriedade exclusiva de Deus. Honremo-Lo com ações de graças, não seguindo o curso deste mundo. Amém!